Passar para o conteúdo principal
Amina Mohammed se reunirá com personalidades regionais e da Rede de Mulheres Líderes Africanas

Vice-chefe da ONU lidera mobilização internacional em favor de Moçambique  BR

ECA
Amina Mohammed se reunirá com personalidades regionais e da Rede de Mulheres Líderes Africanas

Vice-chefe da ONU lidera mobilização internacional em favor de Moçambique 

Paz e segurança

Amina Mohammed junta-se a personalidades regionais e internacionais numa visita virtual para aumentar mobilização de mulheres, incentivar liderança feminina e promover o desenvolvimento sustentável no país africano de língua portuguesa. 

A subsecretária-geral da ONU se junta a líderes femininas e organizações internacionais em uma missão de solidariedade a Moçambique.  

A meta é envolver o grupo no enfrentamento da crise e mobilizar mais apoio humanitário para o norte da nação, que enfrenta um conflito humanitário com a violência entre grupos extremistas e forças militares do país. 

Progressos  

Na visita virtual de alto nível desta quinta-feira, Amina Mohammed se reunirá com personalidades regionais e da Rede de Mulheres Líderes Africanas. 

Crise humanitária ameaça afetar os meios de subsistência
PMA/Grant Neuenburg
Crise humanitária ameaça afetar os meios de subsistência

 

As Nações Unidas apoiam a maior mobilização feminina, o reforço da liderança e da representação do grupo para promover progressos e a implementação de respostas inclusivas e sustentáveis. A violência na província de Cabo Delgado teve início em 2017.  

No evento serão apresentadas mensagens de solidariedade das ex-presidentes do Maláui, Joyce Banda, da República Centro-Africana, Catherine Samba-Pandza e das Maurícias, Ameena Gurib-Fakim. 

A ativista social moçambicana Graça Machel, antiga primeira-dama de Moçambique, se unirá à antiga primeira-ministra Luísa Diogo na sessão com Mohammed. 

Mais de 714 mil pessoas, a maioria mulheres e meninas, foram obrigadas a deixar suas casas devido às ações de terroristas e extremistas em Cabo Delgado. 

Subsistência  

Segundo o governo moçambicano, os extremistas praticam violações de direitos humanos incluindo violência sexual e de gênero. 

Grupo de deslocados na capital de Cabo Delgado, Pemba
OIM/Matteo Theubet
Grupo de deslocados na capital de Cabo Delgado, Pemba

 

Milhares de crianças foram obrigadas a abandonar a escola e a crise humanitária ameaça os meios de subsistência de comunidades.  

Um dos maiores receios é que a situação afete mais jovens e prolongue a crise. 

Em 24 de março, terroristas atacaram a cidade de Palma, ao norte da capital de Cabo Delgado forçando dezenas de milhares a fugirem de suas casas. 

A Comissão Econômica para África, ECA, destaca a queda do rendimento per capita em 2019 para US$ 504 em Moçambique após a passagem dos poderosos ciclones Idai e Kenneth pelo país.  

Em 2020, o país prevê que haja uma queda de rendimento de 3,4% devido à pandemia. A Covid-19 empurrou mais 850 mil pessoas para a pobreza, aumentando a taxa nacional para 63,7% da população moçambicana. 

Relatório ressalta as estimativas de quantas pessoas se tornaram pobres durante a pandemia de Covid-19: entre 117 milhões e 168 milhões de pessoas
Unicef/Daniel Timme
Relatório ressalta as estimativas de quantas pessoas se tornaram pobres durante a pandemia de Covid-19: entre 117 milhões e 168 milhões de pessoas