Dia Mundial de Combate à Tuberculose apela para renovação no pós-pandemia  BR

Um médico em Gujarat, Índia, verifica a radiografia de tórax de um paciente em busca de sinais de tuberculose ou outras infecções pulmonares
Unicef/Vinay Panjwani
Um médico em Gujarat, Índia, verifica a radiografia de tórax de um paciente em busca de sinais de tuberculose ou outras infecções pulmonares

Dia Mundial de Combate à Tuberculose apela para renovação no pós-pandemia 

Saúde

Cerca de 1,4 milhão de pessoas ficaram sem o tratamento no ano passado, se comparado ao total em 2019, quando houve uma redução de 21% no número de países com prevalência; maiores fossos de diagnóstico ocorrem na Indonésia, na África do Sul, nas Filipinas e na Índia. 

Este 24 de março é o Dia Mundial de Combate à Tuberculose.  

No ano passado, pacientes em todo o mundo foram prejudicados em seus tratamentos por causa da pandemia da Covid-19. Para a Organização Mundial da Saúde, OMS, o quadro revela que a doença afeta, de forma desproporcional, as pessoas mais pobres do mundo. 

Pressão 

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirma que esses dados sombrios provam que é preciso fazer mais para alcançar o cuidado universal de saúde e melhorar os sistemas de atendimento.  

Tedros Ghebreyesus disse que a incapacidade do mundo em fornecer vacinas aos países pobres é “um fracasso global”
OMS/Christopher Black
Tedros Ghebreyesus disse que a incapacidade do mundo em fornecer vacinas aos países pobres é “um fracasso global”

Se comparado ao ano 2019, menos 1,4 milhão de pessoas em tratamento contra a tuberculose ficaram sem os medicamentos no ano passado por causa da pressão criada pela pandemia. 

Tedros lembra que a cobertura universal de saúde ajuda a resolver não só crises de pandemia, mas de outras doenças.   

Antes da chegada do novo coronavírus, havia ocorrido uma redução de 21% dos países com casos de tuberculose. Mas muitos continuam sem poder acessar os serviços. 

Testes   

A OMS estima que 500 mil pessoas a mais possam ter morrido de tuberculose em 2020 somente por não poderem obter um diagnóstico. 

Antes da pandemia, o fosso entre o número de pessoas com a doença e aquelas diagnosticadas era de 3 milhões.  

Os maiores fossos de diagnóstico ocorrem na Indonésia, na África do Sul, nas Filipinas e na Índia. 

Para a OMS, a melhor forma de resolver essas discrepâncias é através do teste rápido. A agência da ONU emitiu novas diretrizes para ajudar os países com suas demandas específicas em comunidades com alta prevalência de tuberculose. 

Criança recebe tratamento contra a tuberculose no Sudão do Sul, em iniciativa do Fundo Global
Pnud Sudão do Sul/Brian Sokol
Criança recebe tratamento contra a tuberculose no Sudão do Sul, em iniciativa do Fundo Global

Exames moleculares rápidos e uso de detecção por computador ajudam a interpretar radiografias do tórax e outras maneiras de examinar pacientes com HIV e tuberculose. 

Liderança 

Em 2020, o secretário-geral divulgou um conjunto de 10 recomendações prioritárias para países afetados.  

Uma delas é sobre mobilizar a alta liderança para assegurar a redução das mortes por tuberculose.  

O aumento dos cuidados de saúde e prevenção, o combate à resistência a medicamentos, a promoção dos direitos humanos e o aumento da pesquisa da tuberculose estão entre as medidas. 

Durante séculos, pacientes de tuberculose têm aparecido entre os mais marginalizados e vulneráveis. E a Covid-19 só intensificou as disparidades. 

Para a OMS, a recuperação da pandemia é o momento certo para mudar como o mundo lida com a tuberculose.