Guterres pede maior solidariedade após 2 milhões de mortes pela Covid-19
BR

15 janeiro 2021

Número de mortes globais por Covid-19 chegou a 2 milhões; em mensagem, secretário-geral, António Guterres,  disse que "infelizmente, o impacto mortal da pandemia foi agravado pela ausência de um esforço global coordenado"; leia o texto na íntegra. 

"Nosso mundo atingiu um marco de cortar o coração: a pandemia de Covid-19 já custou 2 milhões de vidas.

Por trás desse número impressionante estão nomes e rostos: o sorriso que é agora apenas uma memória, a cadeira para sempre vazia à mesa de jantar, a sala que ecoa o silêncio de um ente querido.

Infelizmente, o impacto mortal da pandemia foi agravado pela ausência de um esforço global coordenado.

Em memória desses 2 milhões de almas, o mundo deve agir com uma solidariedade muito maior.

Agora é a hora.

Vacinas seguras e eficazes contra a Covid-19 estão sendo lançadas – e a ONU está apoiando os países a mobilizar o maior esforço global de imunização da história.

Estamos empenhados em garantir que as vacinas sejam vistas como bens públicos globais – uma vacina do povo.

Isso requer financiamento pleno para o Acelerador de Acesso a Ferramentas contra a Covid-19 e os mecanismos da COVAX – que se dedicam a tornar as vacinas disponíveis e acessíveis a todos.

As principais economias do mundo têm uma responsabilidade especial.

No entanto, hoje estamos vendo um vácuo de vacina. 

No total, já foram confirmados mais de 91 milhão de casos, Banco Mundial/Henitsoa Rafalia

As vacinas estão alcançando países de alta renda rapidamente, enquanto os mais pobres do mundo não têm nenhuma.

A ciência está tendo sucesso – mas a solidariedade está falhando.

Alguns países buscam acordos paralelos até mesmo comprando além do necessário.

Os governos têm a responsabilidade de proteger suas populações, mas o “nacionalismo da vacina” é contraproducente e atrasará a recuperação global.

A Covid-19 não pode ser derrotada em um país de cada vez.

Precisamos que os fabricantes aumentem seu compromisso de trabalhar com os mecanismos da COVAX e com países em todo o mundo para garantir fornecimento suficiente e distribuição justa.

Precisamos que os países se comprometam agora a compartilhar o excesso de doses de vacinas.

Isso ajudaria a imunizar todos os profissionais de saúde em todo o mundo com urgência e proteger os sistemas de saúde do colapso.

Outros na linha de frente, incluindo trabalhadores humanitários e populações de alto risco, devem ser priorizados.

Para ganhar a confiança do público, devemos aumentar a confiança e o conhecimento sobre as vacinas com uma comunicação eficaz e baseada em evidências.

À medida que a ciência continua a trilhar novos caminhos de esperança, vamos lembrar também das etapas simples e comprovadas que todos podemos tomar para nos mantermos seguros: usar máscaras, distanciar-nos fisicamente e evitar aglomerações.

Nosso mundo só pode ficar à frente desse vírus de uma maneira – unido.

A solidariedade global salvará vidas, protegerá as pessoas e ajudará a derrotar este vírus maligno."

Universidade de Oxford/John Cairns
Iniciativa também quer promover o acesso às vacinas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Casos de Covid-19 sobem em praticamente todos os países das Américas  

Na semana passada, foram 2,5 milhões de notificações, o maior número de novos casos desde o início da pandemia em março; apesar do início da imunização em algumas nações, não existem doses suficientes para controlar o avanço do vírus; agência da ONU diz que sem ação, este ano pode ser pior que 2020.