Dia Internacional destaca importância da biodiversidade das montanhas 
BR

11 dezembro 2020

Em mensagem, o secretário-geral destaca a aceleração da mudança climática e da degradação da terra; para António Guterres, o próximo ano oferece oportunidades importantes para proteger estes recursos. 

Em 2020, as Nações destacam a importância da biodiversidade no Dia Internacional da Montanha, marcado a 11 de dezembro.  

As regiões montanhosas hospedam mais de um quarto das plantas e animais terrestres e 30% das principais áreas de biodiversidade terrestre. 

Mais de 90% dos habitantes das montanhas vivem em países em desenvolvimento, Unmas/ Cengiz Yar

Ameaças 

Em mensagem sobre o dia, o secretário-geral, António Guterres, destaca a aceleração da mudança climática e da degradação da terra.  

Segundo ele, as geleiras das montanhas estão desaparecendo em um ritmo sem precedentes e espera-se que a profundidade da neve em altas montanhas diminua entre 10% e 40% entre 2031 e 2050. 

O chefe da ONU afirma que “a vida selvagem nas montanhas também está em risco”, destacando o caso dos leopardos-da-neve na Ásia Central, gorilas da montanha em Virunga e tigres de Bengala no Butão.  

Guterres diz que estas e outras espécies “são afetados por mudanças em ecossistemas mais amplos e usos humanos da paisagem que podem, por sua vez, levar a uma maior invasão em áreas remotas e de alta altitude e aumento do conflito entre homem e vida selvagem.” 

Oportunidades 

Para ele, o próximo ano oferece oportunidades importantes de formulação de políticas para proteger estes ecossistemas, incluindo a Conferência do Clima da ONU, COP 26, e a elaboração de uma estrutura de biodiversidade pós-2020. 

Além disso, a Assembleia Geral declarou 2021-2030 como a Década da Restauração do Ecossistema. Segundo Guterres, “as Nações Unidas continuam a trabalhar com parceiros locais e nacionais para proteger os ecossistemas e as espécies montanhosas e promover os produtos das montanhas.” 

A água das montanhas são as , by OMM/Miguel Angel Trejo Rangel

Ele lembra uma campanha recente, com o lema “Run Wild”, que mobilizou 1 milhão de corredores, representando 1 milhão de espécies ameaçadas de extinção, dizendo que foi “uma demonstração comovente de solidariedade.” 

O secretário-geral termina afirmando que “é hora de mover montanhas para garantir as mudanças necessárias para garantir a saúde do planeta e construir um futuro sustentável para todos.” 

Importância 

As montanhas abrigam 15% da população mundial e hospedam cerca de metade dos centros de biodiversidade do mundo. Estes ecossistemas também fornecem água doce para metade da humanidade.  

Quase 70% das terras nas montanhas são usadas para pasto e fornecem estrume que aumenta a fertilidade do solo. A pecuária não produz apenas alimentos como leite, manteiga e carne, mas também outros produtos valiosos, como alguns dos fios mais preciosos, como a lã de caxemira. 

Para a ONU, a conservação destes recursos é um fator chave para o desenvolvimento sustentável e faz parte do Objetivo 15 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Na Universidade de Columbia, Guterres defende movimento global para salvar clima 

Secretário-geral diz que ação levará a compromissos mais ambiciosos para sociedades neutras em carbono; meta para 2021 é criar Coalizão Global pela Neutralidade do Carbono; avaliação realça benefícios da tecnologia, análises econômicas e baixo custo de produção de energias renováveis.