Perspectiva Global Reportagens Humanas

Nações Unidas celebram Dia Internacional da Montanha de olho na sustentabilidade BR

Nascer do sol na montanha de Kimso, Coreia do Sul
OMM/Kweonyeol Oh
Nascer do sol na montanha de Kimso, Coreia do Sul

Nações Unidas celebram Dia Internacional da Montanha de olho na sustentabilidade

Clima e Meio Ambiente

Turismo sustentável nessas áreas pode ajudar a aliviar a pobreza, promover inclusão social e preservar a herança cultural; atividade atrai até 20% do turismo global, que foi fortemente afetado pela pandemia; montanhas fornecem água doce à metade da população mundial todos os dias.

A ONU celebra neste 11 de dezembro o Dia Internacional da Montanha promovendo o turismo sustentável. Essas áreas também abrigam 15% da população mundial.

O montanhismo cria fontes alternativas de renda para comunidades inteiras, gera inclusão social e ajuda a conservar a biodiversidade e a paisagem natural.

Torres de transmissão elétrica em uma área montanhosa em Sapa, no Vietnã
ONU/Kibae Park
Torres de transmissão elétrica em uma área montanhosa em Sapa, no Vietnã

Sobrevivência

Com a Covid-19, muitas áreas de turismo de montanha tiveram de ser fechadas em todo o mundo afetando economias locais e impactando os trabalhadores do ramo.

Segundo a ONU, o turismo de montanha atrai de 15% a 20% do turismo global.  Mas a crise pode ser também uma oportunidade para repensar a atividade e como melhor utilizar os recursos e promover a fonte de sobrevivências de tantas pessoas. O objetivo é reconstruir um futuro mais verde, mais resiliente e mais inclusivo.  

O turismo de montanha é ainda uma chance de promover formas de aliviar a pobreza, conservar a biodiversidade, a herança cultural e natural de várias áreas de serra e montanhas.

O Dia Internacional é organizado pela Agência da ONU para Alimentação e Agricultura, FAO, que oferece aos países marcar a data de acordo com suas próprias tradições.

Mais de 90% dos habitantes das montanhas do mundo vivem em países em desenvolvimento.
Unmas/ Cengiz Yar
Mais de 90% dos habitantes das montanhas do mundo vivem em países em desenvolvimento.

Amigos

As montanhas abrigam quase metade de todos os principais pontos da biodiversidade. Elas fornecem ainda água doce, todos os dias, para metade da humanidade.

Um dos eventos em 2021 é preparar um evento comunitário ou entre grupos de amigos nas redes sociais para falar sobre a importância do montanhismo sob o hashtag: #MountainsMatter, ou MontanhasImportam.

A ONU lembra que a conservação das montanhas é um fator chave para o desenvolvimento social e parte do Objetivo 15 de Desenvolvimento Sustentável.

Mesmo com todas essas funções vitais, as montanhas estão sob ameaça da mudança climática e de excesso de exploração.

Com o aquecimento global, os moradores de áreas montanhosas, que estão entre os mais pobres do mundo, enfrentam ainda mais dificuldades para sobreviver.

Nascer do sol a 5 mil metros de altura na montanha de Iztaccihualt, México
OMM/Miguel Angel Trejo Rangel
Nascer do sol a 5 mil metros de altura na montanha de Iztaccihualt, México

Pegada de carbono

O aumento das temperaturas também sinaliza que as glaciais estão derretendo em ritmo jamais visto, afetando o fornecimento de água doce para milhões de pessoas. Um problema que diz respeito a todos.

A FAO ressalta que é preciso reduzir a pegada de carbono de cada indivíduo para assegurar a continuidade das montanhas, consideradas tesouros naturais.

A ONU declarou 2022 o Ano Internacional das Montanhas e o primeiro Dia Internacional foi celebrado em 2003.

Em 1992, ano da Conferência Internacional da ONU, ECO-92, no Rio de Janeiro, foi adotado também o documento “Gerenciando Ecossistemas Frágeis: Desenvolvimento Sustentável da Montanha, também chamado de Capítulo 13, como parte da Agenda 21 de Conferência sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento.