Guia traz diretrizes sobre contratação de trabalhadores domésticos migrantes BR

Com a pandemia da Covid-19, um dos setores mais afetados pela falta de proteção social foi o de trabalhadores domésticos.
Foto/ FAO ALC
Com a pandemia da Covid-19, um dos setores mais afetados pela falta de proteção social foi o de trabalhadores domésticos.

Guia traz diretrizes sobre contratação de trabalhadores domésticos migrantes

Migrantes e refugiados

Organização Internacional para Migrações, OIM, divulgou regras para setor que abriga pelo menos 67 milhões de empregados acima da idade de 15 anos; um em cada cinco é migrante e 80% dos domésticos são mulheres.

Com a pandemia da Covid-19, um dos setores mais afetados pela falta de proteção social foi o de trabalhadores domésticos. Em todo o mundo, um em cada cinco empregados é migrante. 

Segundo a Organização Internacional para Migrações, OIM, eles são geralmente esquecidos dos esforços globais para engajar empregadores do setor privado a aumentar a prestação de contas e proteção dos trabalhadores.

Mulheres

Para ajudar a melhorar a situação de trabalhadores domésticos, a OIM lançou um guia com diretrizes sobre a contratação.

Em todo o mundo, mais de 67 milhões de pessoas, acima de 15 anos, trabalham nessas condições. E 80% delas são mulheres.

A agência da ONU afirma que muitos trabalhadores migrantes em condições precárias não buscam ajuda por causa das condições em que se encontram. Em vários casos, eles se tornam mais propensos a abusos e maus tratos.

No guia da OIM, recrutadores têm noções de ética, trabalho digno e decente e como remediar abusos práticos contra os trabalhadores migrantes.

Para ajudar a melhorar a situação de trabalhadores domésticos, a OIM lançou um guia com diretrizes sobre a contratação.
Para ajudar a melhorar a situação de trabalhadores domésticos, a OIM lançou um guia com diretrizes sobre a contratação. Foto: OIM

Desafios

Com cerca de 260 mil agências privadas de recrutamento de emprego ao redor do mundo, esses agentes também têm poder sobre os desafios enfrentados pelos trabalhadores migrantes.

Uma outra preocupação na hora de contratar é o cruzamento de fatores como gênero, raça, religiões e outros que combinados ou não criam uma forma única de discriminação aos migrantes. 

Em todo o mundo, práticas abusivas de seleção de pessoal colocam os empregados domésticos em situações de exploração antes mesmo de eles começaram a servir na casa dos patrões.

Visão panorâmica

O Guida da OIM sobre Recrutadores Trabalhistas e Recrutamento Ético tem como base padrões e instrumentos já aprovados pela Organização Internacional do Trabalho incluindo a Convenção sobre Trabalhadores Domésticos de 2011 e recomendações do mesmo ano.

A diretora no Departamento de Gerenciamento da Migração, Marina Manke, afirmou que com a pandemia, mais do que nunca é importante que os recrutadores respeitem os padrões éticos internacionais para garantir a proteção dos direitos dos migrantes. 

As diretrizes têm três capítulos que oferecem uma visão panorâmica dos riscos enfrentados pelos trabalhadores domésticos e explicam as responsabilidades dos recrutadores.

O guia, que está em inglês, deve ser traduzido para várias línguas.

Em todo o mundo, um em cada cinco empregados é migrante. 
IOM Iraq/Sarah Ali Abed
Em todo o mundo, um em cada cinco empregados é migrante.