OMS marca Dia Mundial de Combate à Malária   BR

Mãe e bebê na Beira, em Moçambique, recebem tratamento contra malária
Foto: Unicef/UN0303710/Oatway
Mãe e bebê na Beira, em Moçambique, recebem tratamento contra malária

OMS marca Dia Mundial de Combate à Malária  

Saúde

Número de mortes pela doença, também conhecida como paludismo, caiu de 743 mil para 446 mil de 2000 a 2014; campanha “Zero Malária” quer reativar ganhos no combate à infecção.

A Organização Mundial da Saúde celebra neste sábado o Dia Mundial de Combate à Malária. Em parceria com a iniciativa RBM para o Fim da Malária, a agência promove a campanha “Zero Malária Começa Comigo”. 

Prevenção

Os organizadores querem mobilizar recursos e comunidades para a prevenção e o tratamento da doença.

De 2000 a 2014, as mortes por malária caíram 40% de 743 mil para 446 mil. Para a OMS, a redução é resultado de um esforço coletivo e da liderança de países em tomarem medidas radicais para eliminar a malária.

Mesmo assim. a OMS ressalta que os avanços na luta contra a doença estão estagnados. No Relatório Mundial sobre Malária, divulgado em 2019, a quantidade de mortes em 2018 foi igual à de 2017 e não houve redução no número de novas infecções entre 2014 e 2018.  

OMS: “Zero Malária. Começa comigo”

Iniciativa 

Para a OMS, é preciso tomar ações urgentes para reaver os avanços alcançados pelos países mais afetados pela malária.  

A campanha “Zero Malária” inclui todos os membros da sociedade, líderes políticos, e responsáveis pelo orçamento e políticas públicas. 

A iniciativa também conta com o apoio do setor privado que será beneficiado por uma força de trabalho livre de malária. O grupo tem o apoio das comunidades mais afetadas pela infecção em todo o mundo.