Em Nairóbi, mundo quer avançar metas sobre População e Desenvolvimento
BR

8 novembro 2019

Evento no Quênia marca 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento da ONU, Icpd, realizada no Cairo; temas da reunião incluem acesso a contraceptivos, aumento de fundos e saúde sexual em situações humanitárias.*

Representantes mundiais estão a caminho de Nairóbi, no Quênia, para participar no Encontro de Cúpula sobre os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, Icpd25. O evento de dois dias começa em 12 de novembro.

Em 1994, vários governos, ONGs e setor privado se reuniram na conferência do Cairo. O encontro do Egito ficou na história por reconhecer a força da ligação entre população e desenvolvimento e que era preciso aumentar o poder das mulheres.

Acordo

Foi essa reunião global que, primeira vez, destacou que era necessário defender a  saúde reprodutiva e sexual e os direitos da mulher em acordos globais sobre população e desenvolvimento.

A ONU News, em Maputo, conversou com a representante do Fundo da População da ONU, Unfpa, em Moçambique. Andrea Wojnar afirma que a inclusão é a resposta para desafios democráticos.

“Nós sabemos que 65% da população têm menos de 25 anos. Esse é um número enorme e não há capacidade produtiva para  essa população jovem. Não é suficiente a população produtiva para apoiar esses jovens e esse é um desafio para Moçambique. O objetivo da conferência é incluir, analisar a situação demográfica e todas as políticas setoriais para selecionar os meios de abordagem.”

A Icpd25  quer renovar e melhorar o plano de ação adotado no Cairo. Outra meta é fazer avançar  o Programa de Ação da Icpd, tendo em conta a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e as metas globais para os próximos 10 anos. O evento pretende garantir que ninguém seja esquecido nesses campos.

Desenvolvimento

Antes da reunião de Nairóbi, a ONU fez uma consulta global sobre o que ainda resta a fazer para que as metas sobre população e desenvolvimento possam avançar.

A conferência deve discutir temas como melhorar o financiamento, a população e o desenvolvimento sustentável, práticas femeninas nocivas,  a saúde e os direitos sexuais e reprodutivos para todos em situações humanitárias e frágeis.

As Nações Unidas declaram que “houve progressos notáveis” desde a adoção do Programa de Ação do Cairo sobre População e Desenvolvimento aprovado por 179 Estados.

Mortalidade

De acordo com a organização, o número de pessoas que usam contraceptivos em todo o mundo aumentou 25%. Os partos de mães adolescentes diminuíram de forma acentuada e houve uma queda da taxa de mortalidade materna em nível global.

Para a ONU, o desafio é tornar esse avanço mais rápido e equilibrado, permitir o acesso de centenas de milhões de mulheres a contraceptivos e alcançar as metas globais para baixar as mortes maternas.

*Reportagem enviado especial, Ouri Pota.

Diogo Moreira/Governo de Sao Paulo
Conclusões constam de um estudo conjunto de pesquisadores do Unfpa, e da Universidade Johns Hopkins, em colaboração com a Universidade Victoria, a Universidade de Washington e a Avenir Health.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Angola e Moçambique enfrentam ameaça de insegurança alimentar severa

Agência da ONU, PMA, diz que se nada for feito, 45 milhões de pessoas poderão passar fome em 16 países incluindo Angola e Moçambique; ciclones, cheias e a pior seca nos últimos 35 anos na África Austral entre as causas para falta de alimentos.

Após eleições gerais, Guterres pede a Moçambique que continue a avançar com estabilidade e paz

Secretário-geral da ONU emitiu nota através de porta-voz afirmando que eleições gerais, em 15 de outubro, foram passo importante no processo democrático.