ONU pede calma e serenidade após morte de uma pessoa em protesto na Guiné-Bissau

28 outubro 2019

Missão política elogia autoridades por iniciarem inquérito independente sobre a manifestação; comunicado elogia novas decisões da Comissão Nacional de Eleições sobre votação agendada para 24 de novebro.

Um homem morreu durante protestos realizados no sábado em Bissau, que segundo agências de notícias estariam ligados à preparação das eleições presidenciais de 24 de novembro.

Em nota, emitida esta segunda-feira, o Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Uniogbis, manifesta consternação e preocupação com esse ato e com os “ferimentos em vários outros” participantes na ação de rua.

Recuperação

O apelo feito à população e aos partidos políticos guineenses é que se “mantenham calmos e serenos”. A Uniogbis expressa ainda condolências à família e aos mais próximos do falecido, e deseja uma rápida recuperação aos feridos.

No comunicado, o escritório elogia a decisão do Ministério do Interior da Guiné-Bissau de iniciar um inquérito independente sobre as circunstâncias e as consequências da manifestação e destaca que espera que este seja concluído rapidamente.

A missão política destaca que tem acompanhado de perto os preparativos para a eleição presidencial de 24 de novembro assim como outros membros da comunidade internacional.

As Nações Unidas fazem parte do conhecido envolvido na consolidação da paz no país, conhecido como P5, que também integra a União Europeia, a União Africana, a Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Boletins

O Unigbis também elogia as decisões da Comissão Nacional de Eleições guineense de usar o mesmo caderno eleitoral utilizado nas eleições legislativas de março de 2019 e que “todos os candidatos de enviar suas fotografias, permitindo a produção oportuna dos boletins de voto”.

O comunicado reitera que a expectativa é de que “as eleições presidenciais de 24 de novembro se realizem de forma livre, justa, credível e transparente”.

O apelo feito às autoridades nacionais e a todos os atores políticos da Guiné-Bissau é que continuem empenhados na preparação e na promoção de “um ambiente de paz social, estabilidade e respeito pelo Estado de Direito e pelos direitos humanos”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud