Passar para o conteúdo principal

Número de casos de ebola já ultrapassou 2 mil na RD Congo BR

 Uma paciente com ebola no Centro de Tratamento de Ebola em Beni, no leste da República Democrática do Congo.
PMA/Marco Frattini
Uma paciente com ebola no Centro de Tratamento de Ebola em Beni, no leste da República Democrática do Congo.

Número de casos de ebola já ultrapassou 2 mil na RD Congo

Saúde

Total revelado pelas autoridades congolesa inclui casos confirmados e suspeitos; doença matou pelo menos 1.345 pessoas em nove meses; avanços recentes incluem redução de ataques e casos confinados às atuais áreas afetadas.

Pelo menos 1,914 mil casos de ebola já foram relatados no segundo maior surto da doença na história na República Democrática do Congo. Outros 94 pacientes são suspeitos. As autoridades de saúde do país anunciaram 1.345 mortes devido à doença desde agosto passado.

As principais dificuldades para controlar a doença são a desconfiança das comunidades e os ataques violentos contra os profissionais de saúde.

Cerca de 1,914 mil casos de ebola já foram relatados no segundo maior surto da doença na história na República Democrática do Congo.
Cerca de 1,914 mil casos de ebola já foram relatados no segundo maior surto da doença na história na República Democrática do Congo. Foto: Federação Internacional da Cruz Vermelha/ Sociedade do Vermelho Crescente

Desafio

O Ministério da Saúde da RD Congo  destaca que embora continuem as ameaças à resposta, a redução do número de ataques direcionados permitiu conter a propagação da epidemia que agora está confinada às áreas afetadas.

Líderes comunitários, mobilizadores e especialistas em apoio psicossocial estão envolvidos no combate à resistência dos habitantes das áreas com pacientes. Esses grupos também atuam  na promoção do tratamento e de medidas preventivas.

Em maio, a Organização Mundial de Saúde, OMS, apontou a violência esporádica de milícias, a falta de recursos de saúde e a falta de acesso como fatores que mais influenciam as "circunstâncias mais desafiadoras já enfrentadas” pela agência no combate ao surto.

Propagação

As autoridades nacionais disseram que a evolução positiva que acontece nas últimas semanas deve-se a uma ligeira melhoria na situação de segurança.

Há mais de um mês, um ataque armado contra as equipes e operações da resposta ao ebola provocou a morte do médico camaronês  Richard Valery Mouzoko Kiboung.

Surto de ebola já matou mais de 2 mil na República Democrática do Congo