ONU condena ataque terrorista que matou pelo menos 20 nas Filipinas

27 janeiro 2019

Secretário-geral colocou meios da organização ao dispor das autoridades do país em seus esforços de combater ao terrorismo e ao extremismo violento; presidente da Assembleia Geral também expressou solidariedade com os filipinos.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenou o ataque terrorista deste domingo na Catedral de Jolo, em Sulu, nas Filipinas.

Agências de notícias informaram que pelo menos 20 pessoas morreram após explosões ocorridas no local de culto. Outras dezenas ficaram feridas nesses atos que aconteceram no sul das Filipinas.

Missa

A ação teria sido reivindicada pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil. A primeira explosão aconteceu durante a missa dominical e a segunda, do lado de fora, na sequência da resposta dos soldados.

Em nota, emitida pelo seu porta-voz, Guterres expressou solidariedade às famílias das vítimas e desejou uma recuperação rápida dos feridos.

Terrorismo

O pedido do chefe da ONU é que os responsáveis por esses crimes sejam rapidamente levados à justiça. Guterres reiterou ainda o apoio da ONU ao governo e ao povo das Filipinas “nos seus esforços de combate ao terrorismo, ao extremismo violento e para levar adiante o processo de paz na região de Bangsamoro”.

O ataque também foi fortemente condenado pela presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas em sua conta no Twitter. María Fernanda Espinosa expressou solidariedade aos parentes das vítimas e a todos os filipinos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud