ONU alerta para o avanço do Daesh mesmo após perda na liderança BR

Menino carrega uma bola de futebol na Cidade Velha de Mossul, no Iraque
© UNICEF/Diego Ibarra Sánchez
Menino carrega uma bola de futebol na Cidade Velha de Mossul, no Iraque

ONU alerta para o avanço do Daesh mesmo após perda na liderança

Paz e segurança

Subsecretário-geral do Escritório de Combate ao Terrorismo das Nações Unidas, Vladimir Voronkov, falou ao Conselho de Segurança na terça-feira; sessão tratou de ameaça do grupo islâmico; embora tenha perdido o líder e ativos nos últimos anos, influência preocupa.

O subsecretário-geral do Escritório de Combate ao Terrorismo das Nações Unidas afirma que apesar de derrota e sucessivas perdas de liderança, o grupo Daesh continua a ser uma ameaça à estabilidade global.

Vladimir Voronkov falou ao Conselho de Segurança na terça-feira em sessão para debater a ameaça representada pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, ou Daesh, à paz e segurança internacionais.

Subsecretário-geral do Escritório de Combate ao Terrorismo das Nações Unidas, Vladimir Voronkov, afirma que apesar de derrota e sucessivas perdas de liderança, o grupo Daesh continua a ser uma ameaça à estabilidade global
UN Photo/Manuel Elias
Subsecretário-geral do Escritório de Combate ao Terrorismo das Nações Unidas, Vladimir Voronkov, afirma que apesar de derrota e sucessivas perdas de liderança, o grupo Daesh continua a ser uma ameaça à estabilidade global

Estrutura do Daesh

Segundo ele, o risco tem aumentado desde o início da pandemia de Covid-19, há dois anos, e que "o Daesh e seus associados continuam a explorar a dinâmica do conflito, fragilidades de governança e desigualdade para instigar, planejar e organizar ataques terroristas".

Voronkov afirma que os militantes seguem abusando dos espaços digitais para intensificar o recrutamento de simpatizantes e atrair recursos.

Segundo ele, o Daesh também aumentou significativamente o uso de drones no ano passado.

Para o subsecretário-geral, embora a presença e atividade do grupo sejam observadas em sociedades afetadas pela violência, o Daesh e afiliados também procuram influenciar ou direcionar ataques em zonas livres de conflito para incitar o medo e projetar força.

De acordo com Voronkov, "escritórios" decentralizados do grupo operam no Iraque e Síria, mas também em outras áreas fora da zona central de combate, sendo os mais ativos no Afeganistão, na Somália e na bacia do Lago Chade, na África.

Voronkov afirmou que os líderes do Daesh incitam seguidores a cometer ataques, direcionam e controlam o fluxo de fundos para suas afiliadas em todo o mundo.

Avanços contraterrorismo

Segundo Voronkov, na Europa, o Daesh pediu aos simpatizantes que façam ataques aproveitando o vácuo criado pelas restrições da pandemia e o conflito na Ucrânia.

Apesar da ameaça, os esforços conjuntos dos Estados-membros seguem obtendo resultados positivos, na avaliação do subsecretário-geral. O grupo continua sofrendo perdas significativas na liderança, incluindo o líder do próprio movimento em fevereiro.

Voronkov contou que o alto comando do Daesh detém entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões em ativos. O valor é significativamente menor do que as estimativas de três anos atrás.

Mas o repatriamento de combatentes terroristas estrangeiros e seus familiares do terreno ainda é limitado.

Milhares de pessoas, incluindo mais de 27 mil crianças do Iraque e cerca de 60 mil em outros países, continuam sujeitas a desafios de segurança e dificuldades humanitárias, agravadas por relatórios recentes de aumento da violência, incluindo dezenas de assassinatos.

Voronkov pediu aos Estados-membros que considerem as implicações duradouras de não tomar medidas imediatas para lidar com essa situação perigosa.

Crianças familiares de membros do Daesh continuam presas sob um risco crescente de radicalização e recrutamento
Unicef/UN041558/Anmar
Crianças familiares de membros do Daesh continuam presas sob um risco crescente de radicalização e recrutamento

Repatriação

Ele também reforçou os repetidos apelos do secretário-geral da ONU, António Guterres, para que os países facilitem a repatriação segura, voluntária e digna de todos os indivíduos presos em campos e outras instalações.

O subsecretário-geral observou que a persistente ameaça representada pelo Daesh, bem como a magnitude desses desafios, ressalta a importância de medidas não militares para combater o terrorismo e lidar com suas consequências".

Para Voronkov, resolver os conflitos nos quais o Daesh e seus antecessores da Al-Qaeda se aproveitam, é necessário para criar as condições para sua derrota.

Ele explica que é necessário abordar as vulnerabilidades, queixas sociais e desigualdade exploradas pelo grupo em primeiro lugar, além de promover e proteger os direitos humanos e o Estado de direito.