Unicef escolhe novo super-herói contra violência escolar

Cipta é o nome do super-herói
UNICEF
Cipta é o nome do super-herói

Unicef escolhe novo super-herói contra violência escolar

Direitos humanos

Agência da ONU organizou concurso mundial pedindo a crianças de todo o mundo que imaginassem uma personagem que combatesse a violência nas escolas; a vencedora foi uma menina de 17 anos da Indonésia.

Chegou ao fim a procura por um novo super-herói contra a violência escolar. O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, anunciou esta semana que a vencedora é uma menina de 17 anos da Indonésia.

Nos últimos meses, a agência da ONU organizou um concurso pedindo às crianças de todo o mundo que imaginassem uma personagem que combatesse a violência nas escolas.

Concurso

Rizka venceu o concurso promovido pelo Unicef.
Rizka venceu o concurso promovido pelo Unicef.Foto Unicef

Depois de escolher 25 finalistas, o vencedor foi eleito através de uma votação na internet no final do ano passado.

Rizka, de 17 anos, vem da Indonésia e é a criadora do novo super-herói. Ela imaginou Rajwa, também conhecida como Cipta, uma menina de 15 anos, que consegue transformar desenhos em objetos reais e controlá-los.

Quando uma criança tem medo de falar, ela empresta o seu caderno e juntos combatem o "Silêncio”.  O “Silêncio” é o vilão criado pela Unicef para este concurso. 

Cipta também desenha e, em seguida, distribui cadernos pela comunidade para que as crianças escrevam os seus problemas e enviem uma mensagem para ela.

Vencedora

Rizka diz que é "uma pessoa tímida”, mas que espera que o seu desenho possa inspirar outras pessoas. Ela diz que a ideia por trás da sua personagem é “lutar contra o silêncio com o silêncio.”

Agora, a jovem vai trabalhar com uma equipa de profissionais para desenvolver a história do seu super-herói. Também vai ter uma sessão de formação com o artista Gabriel Picolo.  O livro com a história do novo super-herói deve ser publicado em julho deste ano pela Unicef.  

 

Unicef anuncia um novo super-herói contra a violência escolar