ONU alarmada com relatos de morte de 30 crianças em violência na Síria BR

Para Unicef as crianças são aquelas que pagam o preço mais alto do conflito na Síria.
Unicef/ Aaref Watad
Para Unicef as crianças são aquelas que pagam o preço mais alto do conflito na Síria.

ONU alarmada com relatos de morte de 30 crianças em violência na Síria

Paz e segurança

Para a agência da ONU os relatos demonstram “que a guerra contra as crianças na Síria está longe de acabar”; Unicef pede que partes envolvidas no conflito protejam os menores.

Para o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, em quase oito anos de conflito na Síria, os “princípios fundamentais de proteção das crianças foram completamente ignorados, com consequências desastrosas” para elas em todo o país.

Em comunicado, o diretor regional da agência para o Oriente Médio e Norte da África, Geert Cappelaere, disse que o “Unicef está alarmado com relatos recentes de que até 30 crianças teriam morrido durante violência na vila de Al Shafa, na região oriental do país.” Para Cappelaere, a notícia demonstra que “a guerra contra as crianças está longe de acabar na Síria.”

Crianças no campo de Rukban, na Síria.
Crianças no campo de Rukban, na Síria. , by PMA

Mortes

O Unicef destacou que entre janeiro e setembro de 2018, as Nações Unidas verificaram o assassinato de 870 crianças. Este é o maior número já registrado nos primeiros nove meses de um ano desde o início do conflito em 2011.

A agência também destaca que estes são somente os casos verificados e que os números reais devem ser muito maiores. Cappelaere pediu que “as partes do conflito protejam todas as crianças, sem importar onde elas estejam na Síria e sob quem está o controle da vida delas.”

Para o Unicef as crianças são aquelas que pagam o preço mais alto do conflito no país, com violações graves de direitos humanos e proteção ocorrendo diariamente.

Assistência Humanitária

Dados da agência indicam que mais de 5 milhões de menores precisam de assistência humanitária e que quase metade deles foram forçados a deixarem suas casas.

De acordo com o Unicef, a dificuldade de acesso à várias regiões da Síria impede que se possa avaliar a gravidade real do sofrimento das crianças e que meninas e meninos possam receber a ajuda necessária.  Para o Fundo, “além das bombas, balas e explosões, crianças estão morrendo em silêncio, muitas vezes de doenças que poderiam ser facilmente evitadas.”