Parceria entre PMA e Alibaba vai criar Mapa Mundial da Fome BR

Iniciativa deve ajudar a acelerar o tempo de resposta.
Foto: PAM/ Gabriela Vivacqua
Iniciativa deve ajudar a acelerar o tempo de resposta.

Parceria entre PMA e Alibaba vai criar Mapa Mundial da Fome

Direitos humanos

Empresa de comércio eletrônico chinesa vai ajudar a criar um mapa mundial da fome; objetivo é melhorar a avaliação e o monitoramento das crises e encurtar tempos de resposta a emergências.

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, e a empresa de comércio eletrônico chinesa Alibaba criaram uma parceria para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 2, um mundo com fome zero.

O diretor executivo do PMA, David Beasley, e o sócio e presidente da Fundação Alibaba, Sun Lijun, assinaram o acordo em Hangzhou, China, esta segunda-feira.

Tecnologia

O PMA está sediado em Roma e presta assistência alimentar a mais de 90 milhões de pessoas em mais de 80 países.
O PMA está sediado em Roma e presta assistência alimentar a mais de 90 milhões de pessoas em mais de 80 países, by PMA/ Silke Buhr

A Alibaba é a maior empresa de comércio eletrônico do mundo em valor de transação. O acordo vai fornecer tecnologia e recursos para apoiar a transformação digital das operações do PMA.

O Alibaba Cloud, o seu sistema de computação em nuvem, vai trabalhar com o PMA para desenvolver um “Mapa Mundial da Fome”, que avalia o estado da fome global e melhora a eficiência das operações.

O projeto pretende ajudar o PMA a ler melhor os seus dados, para que possa melhorar a avaliação e o monitoramento das crises. A outra meta é encurtar os tempos de resposta a emergências.

Os parceiros também criarão um Grupo de Trabalho de Transformação Digital para determinar prioridades, avaliar novas oportunidades e o progresso dos projetos.

Objetivos

O presidente da Fundação Alibaba disse que "aliviar a pobreza global e combater a fome é a visão partilhada do Alibaba e do PMA." Segundo Lijun, a empresa está “ansiosa para participar da campanha global de combate à fome usando tecnologias inovadoras, além de partilhar a sua experiência na China e no mundo.”

Em nota, David Beasley disse que a parceria é um marco na relação entre o PMA e o setor privado da China. Segundo ele, a agência da ONU tem agora “um grande aliado na luta contra a fome”.

O chefe da agência disse que “o apoio e o conhecimento do grupo ajudarão o PMA a se tornar mais eficiente e eficaz no trabalho para reverter a tendência de aumento da fome em todo o mundo.”

Pobreza

A Alibaba criou um programa de alívio de pobreza em dezembro do ano passado, com o objetivo de investir 10 bilhões de yuan, cerca de US$ 1,44 bilhão, em cinco anos. O foco será em educação, comércio rural, empoderamento das mulheres, saúde e sustentabilidade ambiental.

Em agosto de 2017, a empresa também trabalhou com o PMA em um projeto de redução da pobreza, ligando pequenos agricultores em Anhui, uma província no leste da China, diretamente com o mercado para obter melhores preços para produtos agrícolas.