Guterres condena ataque que matou pelo menos 11 pessoas na RD Congo

22 outubro 2018

Mortes aconteceram no sábado em Beni, região afetada pelo surto do ebola; na sexta-feira, dois funcionários de saúde foram mortos.

O secretário-geral da ONU condenou esta segunda-feira o ataque que causou a morte de pelo menos 11 pessoas, incluindo um menino, na República Democrática do Congo, RD Congo.

Em nota publicada pelo seu porta-voz, António Guterres diz estar “indignado” com a morte e o rapto de civis cometidos por grupos armados.

Ataque

Funcionários de saúde tratam pacientes com ebola no Hospital de Bikoro, na RD Congo, by Unicef/Naftalin

O ataque aconteceu no sábado na região de Beni, na província do Kivu Norte. Além das mortes, várias pessoas foram sequestradas na cidade de Mayongose, perto de Beni.

Segundo a nota, Guterres também está “profundamente perturbado” com os relatos de que na sexta-feira, 19 de outubro, foram mortos dois funcionários de saúde congoleses que ajudam a combater o surto do ebola.

As mortes aconteceram em Butembo, Kivu Norte, quando a unidade militar em que os dois funcionários seguiam foi atacada.

Tréguas

O chefe da ONU pede que todos os grupos armados parem os ataques contra civis, de imediato, e garantam o acesso humanitário às populações necessitadas.

Guterres reafirmou também o seu apoio aos moradores de zonas afetadas pelo ebola e pela insegurança.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud