Última paciente de ebola deixa centro de tratamento na RD Congo
BR

3 março 2020

OMS fala de esperança ao acompanhar alta de Masiko; epidemia causou mais de 2.200 mortes desde que foi declarada em agosto de 2018; agência da ONU precisa de 42 dias sem nenhum caso para notificar fim de um surto.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou esta terça-feira que a República Democrática do Congo, RD Congo, não tem mais casos de ebola, após mais de um ano de ações de combate ao surto.

A segunda maior epidemia de ebola da história provocou pelo menos 2.264 mortes e 3.444 infeções desde que foi declarada em 1 de agosto de 2018. No total, 1.168 pacientes sobreviveram.

Otimismo

Em sua conta no Twitter, a representante da OMS para África, Matshidiso Moeti, disse que estava orgulhosa de todos os envolvidos na resposta. Segundo ela, deve haver um “otimismo cauteloso” sobre o fim do surto.

Pelas regras da OMS, é preciso um espaço de 42 dias sem nenhum caso para declarar o fim do surto. Esse período corresponde ao dobro do tempo de incubação do vírus.

Moeti publicou um vídeo de uma multidão saudando a última paciente de ebola na saída do centro de tratamento em Beni, província de Kivu do Norte. Ela disse que foi emocionante ver Masiko deixar o centro de tratamento.

Propagação

Além de Kivu do Norte, a província de Ituri, na RD Congo, e os países vizinhos continuam com medidas para reduzir o risco de propagação do ebola.

A ação da OMS foi realizada com centenas de funcionários no terreno, que apoiaram o governo, juntamente com parceiros nacionais e internacionais.

Cruz Vermelha Finlandesa/Maria Santto
Funcionários de saúde em Beni, na República Democrática do Congo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud