ONU inaugura estátua de Mandela na sede em Nova Iorque

24 setembro 2018

Organização acolheu evento dedicado ao líder sul-africano; homenagem ao antigo presidente da África do Sul contou com presença do secretário-geral e de líderes globais.

 As Nações Unidas inauguraram esta segunda-feira, na sua sede em Nova Iorque, uma estátua do líder sul-africano Nelson Mandela. A obra foi uma oferta do governo da África do Sul.

Na cerimônia, o chefe das Nações Unidas, António Guterres, disse que Mandela é “um dos grandes líderes da humanidade”. O evento contou com a presença da viúva de Mandela, Graça Machel, que é também membro dos The Elders, um grupo de antigos líderes.

Exemplo

Em declarações exclusivas à ONU News, Machel falou sobre a importância deste dia. 

"A vida e a obra de Nelson Mandela a revisitar as razões que levaram à constituição das próprias Nações Unidas. Prevenir conflitos, resolver e acabar com conflitos. E ele representa o exemplo de como isso se pode fazer, mesmo nas condições mais difíceis. Ser capaz de reconhecer a necessidade de negociar, e negociar em boa fé. Aceitar a reconciliação, para que se possa construir uma nação unida. Esse é o significado desse dia para mim. "

Lembrança

Durante a cerimónia, Guterres disse que, a partir deste dia, “os visitantes e funcionários da ONU poderão ser constantemente inspirados pelo legado de Madiba”, como Mandela era conhecido, olhando para a estátua.

O secretário-geral explicou que a ONU já lembra o líder desde 2015, quando criou o Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela, que distingue dois indivíduos, a cada cinco anos, pelas suas contribuições para a humanidade.

Guterres lembrou que os primeiros distinguidos foram a cirurgiã da Namíbia Helena Ndume e o seu “bom amigo”, o antigo presidente da república de Portugal Jorge Sampaio. 

A ONU também celebra todos os anos, a 18 de julho, o Dia Internacional Nelson Mandela.

Cimeira de Paz de Mandela, na Assembleia Geral. , by Foto ONU/Cia Pak

Cimeira  

O secretário-geral falou ainda na abertura da Cimeira de Paz de Mandela, que reuniu chefes de Estado e de governo na sala da Assembleia Geral.

O secretário-geral afirmou que Mandela “personifica os valores mais altos das Nações Unidas” e dedicou a sua a vida a servir a comunidade, como advogado, prisioneiro, defensor da paz e presidente.

Segundo ele, a ONU lembra esta segunda-feira “um homem de grande sabedoria, dignidade tranquila e grandes conquistas, que trabalhou sem descanso pela paz e dignidade humana de pessoas em todo o mundo”.

Guterres pediu aos líderes presentes que se comprometam a continuar este trabalho, para que “todas as pessoas em todos os lugares possam ter paz, prosperidade e desenvolvimento sustentável inclusivo”.

Evento

No evento, participaram ainda a presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa, o presidente da União Africana, Moussa Faki, o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa e o secretário-geral da Amnistia Internacional, Kumi Naidoo.

Uma declaração política, facilitada pela África do Sul e Irlanda, foi adotada no início da cimeira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud