12ª Cimeira da Cplp: enviado da ONU quer representação do bloco lusófono em Bissau

17 julho 2018

Para representante do secretário-geral na Guiné-Bissau, medida seria importante no debate da situação guineense; brasileiro José Viegas Filho destaca “papel importante” do bloco para coordenar posições internacionais.

O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau participa na 12ª Conferência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, que iniciou esta terça-feira em Cabo Verde.

José Viegas Filho disse à ONU News, da cidade de Santa Maria, que a Cplp tem relevância internacional. A reunião de chefes de Estado e governo coincide com os 22 anos do bloco lusófono. 

Painel

“A Cplp é uma organização de grande utilidade para os países lusófonos, evidentemente. Mas também é uma instituição que tem um papel importante na coordenação do pensamento da comunidade internacional. Meu ponto de vista, como representante do secretário-geral em Bissau, eu acho esse papel muito relevante. Até tenho pedido, como pedi ao chanceler de Cabo Verde, que crie uma representação da Cplp, agora que eles serão presidentes, em Bissau, para que ela possa se incorporar ao painel de discussões sobre a realidade da Guiné-Bissau. ”

Eleições

O enviado da ONU disse ter abordado a proposta de forma direta com o próprio presidente guineense, José Mário Vaz, à margem da reunião em Cabo Verde.

Nesse encontro, o chefe de Estado da Guiné-Bissau destacou que as eleições gerais devem decorrer no próximo dia 18 de novembro, como está previsto no calendário para o pleito.

Durante o evento da Cplp, José Viegas Filho falou do tema com o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Ulisses Correia e Silva. Cabo Verde assume a presidência da Cplp nesta conferência, sucedendo o Brasil.

Até quinta-feira, o encontro de líderes do bloco lusófono decorre sob o lema: “Cultura, Pessoas e Oceanos”.

 

Apresentação: Eleutério Guevane.