Conselho de Segurança pede calma após protestos no Haiti BR

Conselho de Segurança da ONU.
ONU/Eskinder Debebe
Conselho de Segurança da ONU.

Conselho de Segurança pede calma após protestos no Haiti

Paz e segurança

Em comunicado, órgão condena com veemência onda violenta no país, que resultou em várias mortes, após protestos contra aumento de combustíveis; Conselho pede fim de todas as formas de violência e diz que responsáveis por crimes têm de prestar contar.

 

O Conselho de Segurança da ONU condenou uma onda de violência no Haiti, que matou pelo menos quatro pessoas.

O órgão pediu calma e afirmou que todas as partes envolvidas devem evitar ações que levem à instabilidade política no país caribenho.  

Preço

Os incidentes, no Haiti, começaram em 9 de julho, quando o governo anunciou um aumento no preço dos combustíveis.

Em comunicado, os 15 países-membros do Conselho reconheceram o direito de reunião pacífica, mas repudiaram, com veemência, todos os atos de violência e ataques a civis.

O Conselho expressou condolências às famílias das vítimas e disse que os responsáveis pelos atos criminosos têm de responder na justiça.

Ordem

Os 15 integrantes do órgão ressaltaram ainda a importância do respeito ao Estado de direito e à ordem democrática. Eles expressaram apoio ao governo haitiano para que trabalhe com todos os atores chave do país na restauração rápida da ordem.

Para o Conselho, é preciso garantir a segurança do povo e da propriedade haitianos além de vencer os desafios que o país enfrenta.

Os membros do Conselho de Segurança reconhecem o importante papel da Polícia Nacional Haitiana, que conta com a cooperação da Missão das Nações Unidas de Apoio à Justiça no Haiti, Minujusth, na proteção da população e na manutenção da ordem pública.

Apresentação: Monica Grayley.