Dia para Eliminação da Violência Sexual em Conflito lembra vítimas infantis

19 junho 2018

António Guterres disse que mães e filhos são vítimas de estigma décadas depois de os conflitos terminarem; ONU avisa que questão está ausente do quadro internacional dos direitos humanos.

O Dia Internacional para Eliminação da Violência Sexual em Conflito, marcado esta terça-feira, lembra este ano a condição e direitos das crianças nascidas em conflitos.

Numa mensagem, o secretário-geral disse que o Dia serve para “ampliar as vozes destas vítimas esquecidas da guerra”.

Estigma

Segundo Guterres, “as mães podem ser marginalizadas e afastadas pelas suas próprias famílias e comunidades”. Quanto às crianças, o chefe da ONU afirma que “lidam com questões de identidade e pertença, décadas depois de as armas se calarem”.

A ONU diz que os efeitos da violência sexual em conflito atravessam gerações, causando trauma, estigma, pobreza, problemas de saúde e gravidezes indesejadas.

As crianças que resultam destes abusos são por vezes chamadas de “sangue mau” ou “crianças do inimigo” e afastadas do grupo social das suas mães.

ONU/Manuel Elias
Guterres disse que as consequências desta violência duram décadas.

Consequências

Segundo a ONU, outro problema é o aborto inseguro, que continua a ser uma das principais causas de mortalidade materna em lugares afetados por conflitos

Além disso, essas mulheres e os seus filhos são vistos como “afiliados” e não como vítimas dos grupos extremistas. Isso torna as criancas suscetíveis ao recrutamento, à radicalização, ao tráfico e à exploração.

Apesar disso, a ONU diz que “a questão das crianças nascidas da guerra tem estado ausente tanto do quadro internacional dos direitos humanos como dos discursos sobre paz e segurança”.

Devido a estes problemas, a ONU diz que “o apoio à reintegração socioeconómica, destinado a aliviar o estigma e a reparar o tecido social, deve estar presente em todos os esforços de reconstrução e recuperação pós-conflito”.

Debate

Esta terça-feira, um painel de discussão sobre o tema ocorre na sede da ONU.

O evento vai debater como as lições da história podem ser aplicadas às sociedades atuais e como se podem recrutar líderes religiosos e tradicionais para ajudar a mudar as normas sociais sobre estes temas.  

 

Apresentação: Alexandre Soares

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud