Moçambique adota plano para aumentar ação feminina na paz e segurança até 2022

13 junho 2018

ONU Mulheres reafirma compromisso em apoiar implementação de plano lançado esta segunda-feira; vários parceiros dizem acreditar em benefícios aos grupos que precisam de maior atenção no país.

Moçambique lançou o Plano Nacional de Ação sobre Mulheres, Paz e segurança 2018-2022 para que o país seja referência na promoção da igualdade de género nessas áreas.

 As prioridades são estimular uma maior participação feminina nas estruturas e processos de paz e segurança, promover a igualdade e equidade de género nas instituições de defesa e segurança.

Emergência

Outras áreas incluem o quadro politico e legal sobre mulher, paz e segurança; a perspetiva de género nos esforços de ajuda de emergência e recuperação e violência sexual e baseada no género em situações de conflito e paz.

No lançamento, a especialista da ONU Mulheres Ondina Da Barca Viera disse que o ato confirma o empenho de Moçambique em alcançar a igualdade do género, direitos e empoderamento feminino.

Liberdade

 “A ONU Mulheres apoia, apoiou a formulação do plano apresentado. Expressamos o nosso compromisso em continuar a trabalhar com Ministério do Género, Criança e Ação Social na implementação do plano, da agenda sobre mulheres paz e segurança, pela paz, liberdade e inclusão.”

Já a embaixadora da Noruega, parceira do governo e ONU Mulheres, destacou que é importante dar atenção a grupos mais desfavorecidos.

“Grande Violência”

“A pequena violência afeta de maneira grave os grupos mais vulneráveis sobretudo as mulheres e crianças. A grande violência afeta as nações, daí o nosso engajamento com Moçambique. A Noruega está honrada em apoiar este plano de ação, espero que as medidas desenhadas melhorem a participação das mulheres em todos os setores do governo, sociedade civil no país inteiro.”

A ONU News conversou com a consultora na área de igualdade de género e vocalista da banda moçambicana Gran’Mah. Regina dos Santos elogiou a adoção do plano que vai contribuir para cumprir a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

Segurança

“Finalmente estamos a começar a falar sobre a integração das mulheres e raparigas em tudo o que tem a ver com conversas e decisões em volta da paz e segurança. Este é um bom passo, principalmente porque agora temos alguns conflitos no norte do país, então a integração, de todo povo moçambicano, mulheres, homens, raparigas, rapazes é muito importante para conseguirmos a paz. Para agenda 2030 é um dos passos, mas ainda temos muito por fazer, temos a área da Saúde, Educação que este tudo englobado no que é a segurança do país, então é um bom passo, mas ainda temos muito que fazer.”

Além da ONU Mulheres, o Plano Nacional de Ação sobre Mulheres, Paz e Segurança 2018-2022 é apoiado pelos governos da Noruega e da Islândia.

Apresentação:  Ouri Pota.