Seca afeta 500 mil crianças no Afeganistão 

24 abril 2018

Inverno extremamente seco já afeta 22 províncias do país; falta de chuva desde o final do ano passado prejudica produção de alimentos e abastecimento de água; Unicef receia que situação de desnutrição piore entre crianças.

A seca no Afeganistão ameaça a vida de um milhão de pessoas, e a previsão é que nos próximos meses este número suba para três milhões. O Fundo da ONU para a Infância, Unicef, revela que meio milhão de crianças devem sofrer devido à seca.

Em 10 das províncias mais afetadas, entre 20% a 30% das fontes de água estão completamente secas.  A insegurança alimentar e a falta de acesso à água própria para consumo pode ter um efeito arrasador nas crianças em áreas onde já existe um alto índice de desnutrição.

Desnutrição

Para a representante do Unicef no Afeganistão, Adele Khodr, a “prioridade é prevenir que a situação piore, atendendo às necessidades das crianças e das famílias nas áreas mais afetadas”.

Ainda de acordo com Khodr, o “impacto da seca não poderia ter vindo em época pior, quando os casos de desnutrição tendem a aumentar em 25% todos os anos com a chegada do verão”.

Aproximadamente 1,6 milhão de crianças e 443 mil mulheres grávidas e lactantes sofrem de desnutrição no Afeganistão.

Emergência

O Governo do Afeganistão formou uma equipe de emergência para lidar com a seca. A meta é coordenar a reposta em todos os setores, incluindo educação, nutrição, água, saneamento básico, segurança alimentar e agricultura.

O Unicef e parceiros estimam que seja preciso dar assistência nutricional de emergência a 92 mil crianças e 8,5 mil mulheres grávidas e lactantes.

A agência estima ainda que 875 mil pessoas precisem de auxilio no valor de US$ 10 milhões para atender crianças e famílias no país nos próximos três ou seis meses.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud