Crianças entre as vítimas de ataque de segunda-feira no Iêmen

3 abril 2018

Unicef confirma várias pessoas mortas na ação ocorrida na cidade de Hudaydah, oeste do país; estado dos corpos torna identificação difícil ou até mesmo impossível; desde 26 de março de 2015, quase 2,2 mil crianças foram mortas pelo conflito.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, confirmou a morte de várias pessoas em um ataque ocorrido na segunda-feira em Hudaydah, cidade costeira no oeste do Iêmen.

Ainda não há confirmação sobre o número exato de vítimas, mas muitas crianças estão desaparecidas. Segundo o Unicef, devido ao estado dos corpos, a identificação está difícil e até impossível em alguns casos.

Proteção

A agência da ONU destaca que nenhum dos lados envolvidos “na guerra brutal do Iêmen teve, nem por um segundo, respeito pelo princípio fundamental de proteção das crianças, que continuam sendo vítimas de ataques indiscriminados”.

O Unicef pede a todos os lados que tomem medidas para proteger as crianças, porque “não há absolutamente nenhuma justificativa para o desrespeito aos direitos das crianças”.

Balanço

Desde março de 2015, quase 2,2 mil crianças foram mortas no conflito, além de mais de 3,3 mil feridas. Atualmente, 80% dos menores no Iêmen precisam de assistência humanitária, sendo que 1,8 milhão de crianças estão severamente desnutridas. Deste total, 400 mil estão lutando pela vida por conta da fome.

O Unicef também destaca o problema da educação: quase 2 milhões de crianças não estão frequentado a escola incluindo meio milhão que saiu desde que o conflito começou, há três anos.

Meninos que não estudam têm mais chances de serem recrutados para o conflito, enquanto as meninas têm risco de serem forçadas a se casar.

Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud