Boina-azul morre em ataque a comboio da ONU na República Centro-Africana
BR

27 novembro 2017

Secretário-geral emitiu nota condenando atentado à operação de paz no país, Minusca; militar que perdeu a vida era do Egito, outros três soldados de paz ficaram feridos.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

O chefe das Nações Unidas condenou fortemente um ataque contra um comboio da Missão de Paz na República Centro-Africana, Minusca.

Um capacete azul do Egito foi morto e outros três soldados da Minusca ficaram feridos no atentado, que ocorreu no eixo Bangassou-Kongbo, no sudoeste do país.

Crime de guerra

Segunda uma nota, emitida pelo vice-porta-voz de António Guterres, o ataque pode ter sido realizado por forças anti-Balaka.

Os capacetes azuis feridos foram levados para um centro médico em Bria. Com este ataque, sobe para 13 o número de forças de paz mortos na República Centro-Africana desde janeiro.

António Guterres expressou profundas condolências à família da vítima e ao Governo do Egito. Ele desejou ainda uma rápida recuperação aos feridos.

Ao comentar o ataque, o chefe da ONU lembrou que o mesmo pode ser considerado um crime de guerra, e disse que as autoridades do país devem investigar o caso para que os responsáveis possam ser levados rapidamente à justiça.

Processo de paz

Guterres reafirmou a determinação da ONU em avançar com a implementação do mandato da Minusca de proteger os civis e adiantar o processo de paz.

Ele ressaltou que o ataque ocorre ao mesmo tempo em que começam as atividades do Painel de Facilitadores da Iniciativa para Paz e Reconcilicação liderada pela União Africana para alcançar o fim do conflito no país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud