Unamid pede forças melhor treinadas, equipadas e flexiveis após ataque

Unamid pede forças melhor treinadas, equipadas e flexiveis após ataque

No Conselho de Segurança, chefe da Missão em Darfur diz que helicópteros vão permitir dissuadir emboscadas; Mohamed Ibn Chambas reafirma necessidade de solução política para conflito de 10 anos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O chefe da Missão Conjunta da ONU e da União Africana em Darfur, Unamid, pediu ao Conselho de Segurança melhor treino, equipamento e maior flexibilidade para as forças de paz na província sudanesa.

As declarações de Mohamed Ibn Chambas foram feitas, esta quarta-feira, 10 dias depois de uma emboscada que matou sete capacetes azuis da ONU. No ataque também foram feridos 17 elementos da missão na região sudanesa.

Perseguição

De acordo com o representante, a aquisição de um helicóptero táctico para propósitos de perseguição de atacantes vai permitir dissuadir emboscadas. Para solucionar o conflito na região, que está no décimo ano, Chambas acrescentou que a solução deve ser política.

Logo a seguir ao ataque, a missão apontou que os autores, ainda não identificados eram “numerosos”, e que a troca de tiros com os soldados da paz foi longa.

Investigação

Chambas disse ao órgão que o procurador especial para crimes de Darfur anunciou, esta semana,  que abriu uma investigação sobre as mortes do pessoal  da Unamid.

Garantias do prosseguimento da investigação sobre o assunto também teriam sido recebidas por Chambas a partir de autoridades sudanesas que confirmaram estar a investigar o assunto. A propósito, a Unamid disse ter  manifestado prontidão para cooperar no processo.