ONU avalia necessidades de mais de 4,5 milhões de centro-africanos

ONU avalia necessidades de mais de 4,5 milhões de centro-africanos

Chefe de Assistência Humanitária da ONU diz que crianças compõem cerca de metade dos 4,6 milhões de afetados pela crise humanitária.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As necessidades da República Centro-Africana são enormes e crescentes, disse a Coordenadora Humanitária das Nações Unidas.

Durante a visita que efetuou, até esta sexta-feira ao país, Valerie Amos revelou que as crianças compõem cerca de metade dos 4,6 milhões de afetados pela crise humanitária.

União Europeia

A deslocação é realizada com a comissária da União Europeia para a Cooperação Internacional e Ajuda Humanitária, Kristalina Georgieva.

No último dia da visita, ambas deslocaram-se ao município de Kaga Bandoro, situado a 400 km da capital, Bangui. A intenção era avaliar a situação no terreno além de auscultar as preocupações das pessoas afetadas.

Deslocados

Mais de 206 mil deslocados internos juntam-se às 49 mil pessoas que deixaram o país devido a confrontos entre as forças Seleka e o governo do deposto presidente François Bozizé, no exílio.

Em comunicado, a responsável  disse que a segurança é uma grande preocupação, tendo-se referido ao trabalho árduo para restabelecer a presença e os programas em diversas partes do país africano.

Estado de Direito

Amos manifestou particular preocupação com o impacto da crise sobre as mulheres e as crianças. Por seu turno, Georgieva disse que as autoridades centro-africanas devem restabelecer urgentemente o Estado de Direito para que fluxos de ajuda regular possam ser restaurados.

A visita ocorreu um mês depois de terem sido disponibilizados US$ 7 milhões, pelas Nações Unidas, para apoiar ações de assistência a serem levadas a cabo por agências humanitárias na República Centro-Africana.