Número de pessoas vivendo na pobreza extrema cai pela metade BR

Número de pessoas vivendo na pobreza extrema cai pela metade

Relatório sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foi lançado pelo Secretário-Geral em Genebra; meta sobre acesso universal à educação primária pode não ser alcançada.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU lançou esta segunda-feira, em Genebra, o relatório Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2013. O documento afirma que mais metas serão alcançadas até 2015, prazo final para o cumprimento dos oito objetivos.

Segundo Ban Ki-moon, o número de pessoas vivendo na pobreza extrema no mundo caiu pela metade, cinco anos antes do programado. Nas regiões em desenvolvimento, o total de pessoas que vive com US$ 1,25 por dia passou de 47% em 1990 para 22% em 2010.

Fome

Apesar da meta número um, sobre redução da fome e da pobreza, ter sido cumprida, o relatório da ONU afirma que 1,2 bilhão de pessoas continuam vivendo na pobreza extrema. Na América Latina, 6% da população faz parte do grupo.

A pobreza é citada como o principal determinante da fome e da falta de acesso à comida. Mais de 100 milhões de crianças menores de cinco anos de idade estão desnutridas ou abaixo do peso.

Fontes de Água

O relatório destaca outros progressos: em 21 anos, mais de 2,1 bilhões de pessoas ganharam acesso a fontes de água seguras para beber.

Entre 2000 e 2012, o índice de mortalidade por malária caiu mais de 25% em todo o mundo. E até 2015, o número de mortes por tuberculose terá caído pela metade, na comparação com os índices de 1990.

Mas a meta número dois, que busca acesso universal à educação primária, poderá não ser cumprida até 2015, se os índices atuais continuarem. Em 2011, 57 milhões de crianças estavam fora da escola primária.

Desafios

Ao lançar o documento, o Secretário-Geral falou que o relatório apresenta ganhos marcantes, mas também mostra sérios desafios.

Segundo Ban Ki-moon, a sustentabilidade ambiental está sob ameaça, com a perda contínua de florestas e estoques de peixes e o aumento das emissões de gases de efeito estufa.

Ban lamentou que 19 mil crianças menores de cinco anos morram todos os dias, a maioria de doenças preveníveis. O chefe da ONU também citou que é preciso ser feito mais para o alcance da meta três, sobre promoção da igualdade de gênero.

O relatório sobre as Metas do Milênio foi apresentado por Ban Ki-moon durante a abertura da reunião de alto nível do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, Ecosoc.