Unaids elogia estudo que aponta “cura funcional” de bebê com HIV BR

Unaids elogia estudo que aponta “cura funcional” de bebê com HIV

Chefe da agência da ONU disse esperar novas pesquisas para saber se constatação pode ser replicada em outros casos; recém-nascido foi tratado com antiretrovirais nas primeiras 30 horas de vida, no estado do Mississipi, nos Estados Unidos.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.   

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, Unaids, elogiou um estudo que aponta a “cura funcional” de um bebê que havia nascido com HIV.

A criança, que nasceu em 2010 no estado do Mississipi, nos Estados Unidos, recebeu tratamento com antiretrovirais nas primeiras 30 horas de vida. E, de acordo com os pesquisadores, não tem mais o vírus que causa a Aids.

Coquetel

O resultado do estudo está sendo apresentado, nesta segunda-feira, durante a Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas, realizada em Atlanta, no estado americano da Geórgia.

Em comunicado, o diretor-executivo do Unaids, Michel Sidibé, disse esperar que a pesquisa se confirme em novos estudos.

De acordo com os pesquisadores, a mãe do bebê é soropositiva, mas não estava tomando o coquetel durante a gravidez, ela também não havia feito o tratamento pré natal.

Exame de Sangue

Para tentar salvar o bebê da doença, um tratamento de terapia tripla de antiretovirais foi iniciado 30 horas após o parto, e antes mesmo de comprovar a infecção com o vírus.

Após receber os antiretrovirais durante uma semana, o bebê obteve alta e continuou o tratamento por 18 meses. Um exame de sangue logo após detectou a ausência do HIV.

Caso a notícia seja confirmada, será a primeira vez que um bebê terá sido curado após o nascimento. Geralmente, o vírus da Aids é eliminado quando a mãe soropositiva faz o tratamento durante a gravidez, evitando assim a contaminação vertical.

Geração

O chefe do Unaids afirmou que a descoberta é uma “grande esperança para a cura da Aids em crianças e torna a possibilidade de uma geração sem a doença, ainda mais perto de ser alcançada.”

De acordo com a agência, no ano passado, havia 330 mil novas infecções de crianças com HIV. O número de soropositivos menores de 15 anos em tratamento contra o vírus é de 28% comparados a 54% de adultos.

Para o Unaids, é preciso realizar mais estudos para compreender o resultado da pesquisa nos Estados Unidos, e se as constatações deste estudo, que indicam a cura funcional do bebê, poderão ser replicadas em outros casos.