Aumento de produção não vai deter insegurança alimentar no Sudão do Sul

Aumento de produção não vai deter insegurança alimentar no Sudão do Sul

PMA prevê que pelo menos 4,1 milhões de pessoas sofram com o problema neste ano; operação deve envolver 224 mil toneladas de alimentos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Programa Mundial da Alimentação, PMA, anunciou que o aumento da produção verificado nos últimos dois anos não será suficiente para dissipar receios de insegurança alimentar no Sudão do Sul.

Entre 2011 e 2012, o país registou uma evolução de mais de 35%,  atribuída a melhorias em aspectos como queda das chuvas, práticas agrícolas e expansão de áreas produtivas, aponta a agência.

Violência

Estima-se que pelo menos 4,1 milhões de pessoas devem sofrer de insegurança alimentar neste ano. O número equivale a 40% da população do país.

Agências humanitárias dizem ter oferecido assistência a mais de 40 mil pessoas afetadas pela violência interétnica e a hostilidades entre o exército e grupos armados nos últimos meses.

Operações

O PMA anunciou um plano de assistência alimentar e nutricional a cerca de 2,8 milhões de pessoas, numa operação que envolve 224 mil toneladas de alimentos diversos

Um apelo de USS$ 354 milhões foi lançado para as operações de assistência no Sudão do Sul em 2013. Mas a agência alerta que o plano pode ser revisto caso se registe um agravamento da situação.