Acnur aponta reabilitação como desafio para retorno de deslocados no Iémen

Acnur aponta reabilitação como desafio para retorno de deslocados no Iémen

Agência anuncia apoio ao retorno voluntário de mais de 30 mil famílias vulneráveis; no norte, 300 mil pessoas ainda estão deslocadas desde 2004.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, apontou a reabilitação e o desenvolvimento como pontos a ter em atenção para  tornar sustentável o retorno de milhares de deslocados iemenitas.

A agência anunciou que está a monitorizar o retorno voluntário de mais de 30 mil famílias vulneráveis no país asiático. O mais recente carregamento aéreo ocorreu na última segunda-feira como parte da assistência aos deslocados internos.

Famílias

Mais de 10 mil, das 180 mil famílias carenciadas, receberam itens não-alimentares e abrigo em Abyan, onde a agência pretende garantir abrigo e kits de ajuda.

Os outros desafios a enfrentar são os danos em propriedades e infraestrutura, além da segurança frágil,  aliada à irregularidade na prestação de serviços públicos.

Deslocados

No norte do país, mais de 300 mil pessoas ainda estão deslocadas desde 2004  devido ao conflito entre o governo e o grupo al Houthis, refere o Acnur.

A agência já identificou como obstáculos para o retorno a insegurança, após confrontos tribais no início do ano passado terem provocado o deslocamento de mais de 6 mil pessoas.