Relatora da ONU diz que países lusófonos devem reutilizar água da chuva BR

Relatora da ONU diz que países lusófonos devem reutilizar água da chuva

Em visita a ilhas do Pacífico, Catarina de Albuquerque, disse que modelo também pode ajudar no tratamento de esgoto.

[caption id="attachment_209521" align="alignleft" width="350" caption="Água da chuva deveria ser reutilizada"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

A relatora especial para o Direito à Água e ao Saneamento recomendou aos países de língua portuguesa que façam mais uso da água da chuva no gerenciamento de água e tratamento de esgoto.

Em entrevista à Rádio ONU de Fiji, no centro-sul da Oceania, Catarina de Albuquerque também chamou a atenção para a situação de deslocamento das ilhas do Pacífico, como Kiribati, que estão ameaçadas pela mudança climática. As ilhas estão pouco mais de 1 metro acima do nível do mar.

Rios

“E algumas recomendações que fiz ao governo foram no sentido de aumentar a capturar a água das chuvas. Essa minha recomendação aplica-se ao Brasil, a Portugal, aos países africanos de língua portuguesa e Timor-Leste. A água da chuva chega-nos às mãos de graça, se a podermos capturar ao invés de deixarmos que vá de novo ao mar, e para os rios, era um grande ganho para todos nós. Para lavar as nossas casas, para lavar os autoclismos

(privadas) das casas de banho e se tratava também para beber.”

Tuvalu foi a primeira parada da visita de Catarina de Albuquerque. Juntamente com a Ilha de Kiribati, o país enfrenta escassez de água. Tuvalu tem cerca de 10 mil habitantes.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.