Ativistas de direitos humanos ainda correm risco, diz ONU BR

Ativistas de direitos humanos ainda correm risco, diz ONU

Grupo, de cinco relatores, afirma que clima de impunidade contra casos de mortes, tortura e desaparecimentos, prevalece em muitos países.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um grupo de relatores das Nações Unidas afirmou que ativistas e defensores dos direitos humanos continuam pagando um alto preço mesmo 10 anos após a aprovação da declaração da Assembléia Geral sobre o tema.

O comunicado foi divulgado, nesta terça-feira, na véspera do aniversário de 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Difamação

Segundo o documento, defensores de direitos humanos ainda sofrem com a impunidade contra os casos de mortes, tortura e desaparecimentos, em vários países.

De acordo com o grupo, não só os ativistas, mas os familiares das vítimas também estão sujeitos a ameaças, assassinatos, prisão arbitrária, difamação entre outros crimes.

O grupo de relatores da ONU, que inclui representantes de todos os continentes, pediu aos governos que reconheçam as atividades dos defensores de direitos humanos e que removam qualquer obstáculo ao trabalho dos ativistas.