Nova tragédia no Golfo de Aden

Nova tragédia no Golfo de Aden

Traficantes humanos espancam e atiram ao mar mais de 40 africanos que tentavam chegar ao Iémen.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Pelo menos 12 pessoas morreram e 28 continuam desaparecidas quando traficantes humanos forçaram 40 refugiados potenciais a abandonar uma pequena embarcação em alto mar, no Golfo de Aden.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, o barco transportava 115 pessoas e tinha deixado o norte da Somália em direcção ao Iémen, no dia 31 de Outubro.

Atirados ao Mar

A informação é do porta-voz do Acnur em Genebra, Ron Redmond.

Redmond disse que no domingo quando a embarcação já se encontrava perto da costa do Iémen, mas ainda em alto mar, os traficantes pediram mais dinheiro aos passageiros que já tinham pago US$ 100 antes da partida.

Os sobreviventes da tragédia disseram ao Acnur que os passageiros que não tinham dinheiro para pagar foram espancados e atirados para o mar.

A maior parte dos passageiros eram etíopes e somalis.

Última tragédia

Esta é a última tragédia a afectar africanos – somalis e etíopes na sua grande maioria - que tentam atravessar o Golfo de Aden à procura de refúgio no Iémen.

O Acnur estima que mais de 38 mil pessoas já atravessaram este ano o Golfo de Aden que separa a Somália do Iémen. Cerca de 29 mil fizeram a travessia o ano passado.

O número de mortos ou desaparecidos nos primeiros dez meses de 2008 ascende já a mais de 600.