Sobreviventes de Hiroshima visitam as Nações Unidas BR

Sobreviventes de Hiroshima visitam as Nações Unidas

Os visitantes aproveitaram a oportunidade para transmitir uma mensagem de desarmamento nuclear.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York.

O Projeto de Ensino e Aprendizado Global, Peag, promoveu, na tarde desta quarta-feira, a visita a sede das Nações Unidas, em Nova York, de quatro sobreviventes do ataque nuclear a Hiroshima, no Japão, em 6 de agosto de 1945.

Ao final da segunda guerra mundial, os Estados Unidos detonaram duas bombas nucleares no Japão, matando 140 mil pessoas em Hiroshima e 80 mil em Nagasaki.

Mensagem de Desarmamento

Os visitantes aproveitaram a oportunidade para relatar a explosão da bomba atômica em Hiroshima e transmitir uma mensagem de desarmamento nuclear.

Entre os convidados estava Takashi Morita, presidente da Associação das Vítimas de Bombas Atômicas no Brasil, que vive em São Paulo há 58 anos. Morita era policial na época da explosão em Hiroshima.

“14 mil pessoas morreram na hora. A cidade inteira. Já pensou? Tudo pegando fogo. As crianças dentro de casa sofrendo, chamando a mãe e pedindo socorro. Ninguém ajudou. Esses morreram queimados, muita tristeza mesmo”.

Além de Morita, visitaram a ONU Setsuko Thurlow, que migrou para o Canadá e atuou na criação do jardim da Paz em Toronto, Kykuyo Nakamura, que apresentou o juramento da paz durante a cerimônia em Nagasaki e Isao Yoshida, conselheiro para vítimas dos ataques nucleares.

Em comemoração aos 100 anos da migração japonesa ao Brasil, a Associação das Vítimas de Bombas Atômicas organizou a primeira amostra sobre os ataques nucleares a Hiroshima e Nagasaki na América Latina.

O evento está aberto ao público no Memorial do Imigrante em São Paulo.