Agências da ONU levam mais de 1 mil toneladas de ajuda humanitária à Ucrânia  BR

ONU quer passar a ajuda para os ucranianos que tiveram que fugir de suas casas em 24 de fevereiro
Unicef/Anton Skyba for The Globe and Mail
ONU quer passar a ajuda para os ucranianos que tiveram que fugir de suas casas em 24 de fevereiro

Agências da ONU levam mais de 1 mil toneladas de ajuda humanitária à Ucrânia 

Ajuda humanitária

Foram entregues rações alimentares, suprimentos médicos e outros itens a milhares de pessoas em Kharkiv; parceria com a Cruz Vermelha ucraniana fará a distribuição a comunidades mais carentes em áreas de difícil acesso.

A coordenadora humanitária das Nações Unidas na Ucrânia informou que um carregamento com mais de 1 mil toneladas de alimentos, medicamentos, roupas e utensílios para casa foi entregue à cidade de Kharkiv, no país. 

O lote foi criado com apoio do Programa Mundial de Alimentos, PMA, Unicef, da OMS e da Agência da ONU para Refugiados, Acnur.

Comunidades

A coordenadora Osnat Lubrani disse que a distribuição da ajuda será feita pela Cruz Vermelha ucraniana, que tem acesso a áreas ainda difíceis para as agências da ONU. Milhares de pessoas e comunidades mais carentes devem ser atendidas.

Nesta segunda-feira, o secretário-geral da ONU, António Guterres, informou que pediu ao coordenador da organização, Martin Griffiths, que busque os meios para um acordo de cessar-fogo humanitário. Com os combates, fica inseguro também para os trabalhadores humanitários chegarem aos locais. 

Unicef informou que está apoiando a criação de espaços seguros na Ucrânia
Unicef/Viktor Moskaliuk
Unicef informou que está apoiando a criação de espaços seguros na Ucrânia

 

Muitas áreas estão sendo bombardeadas, várias minas terrestres estão sendo depositadas em ruas e passagens para causar destruição e morte.

A ONU voltou a lembrar que os civis têm de ser protegidos assim como a infraestrutura que inclui escolas, hospitais e serviços básicos. 

Parceiros 

O objetivo é passar a ajuda para os ucranianos que tiveram que fugir de suas casas em 24 de fevereiro após a invasão da Rússia ao país. 

Desde então, a ONU e as entidades parceiras conseguiram chegar a 890 mil pessoas com ajuda que salva vidas, mas isso ainda não é o suficiente. A coordenadora humanitária na Ucrânia reforçou o apelo do secretário-geral para um cessar-fogo que leve ao fim da guerra. Segundo ela, essa é única medida que realmente pode garantir a segurança e o fim do sofrimento desnecessário dos civis.

Comboio com ajuda humanitária chega a Sumy, na Ucrânia.
Foto: © UN/Ukraine
Comboio com ajuda humanitária chega a Sumy, na Ucrânia.

 

Num comunicado separado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, informou que está apoiando a criação de espaços seguros na Ucrânia e em países vizinhos para as crianças e mulheres refugiadas. 

Famílias com crianças 

Além disso, um programa de transferência de dinheiro deve começar nesta semana para atender a 52 mil famílias mais vulneráveis com crianças. 

Até o dia 23, o Unicef já havia despachado 94 caminhões com 1.047 toneladas de itens de emergência para as crianças e famílias na Ucrânia e nas áreas fronteiriças. 

O Unicef espera ajudar mais de 8 milhões de pessoas incluindo 2 milhões de crianças. Esses carregamentos incluem medicamentos e equipamento hospitalar, além de roupas de inverno, kits de higiene, material educativo e recreativo. 

Mais de 4 mil pessoas estão vivendo em abrigos subterrâneos desde 24 de fevereiro. Muitos recebem apoio psicossocial pela internet, face a face ou por telefone. 

Linha nacional de telefone 

O Unicef também está apoiando uma linha nacional de telefone para socorro das crianças. Ali, eles entram em contato com cuidadores e jovens. Em média, eles recebem mil chamadas por semana. 

Jovem ucraniana descansa com seu cachorro depois de chegar em Medyka, Polônia, com sua família
© UNICEF/John Stanmeyer
Jovem ucraniana descansa com seu cachorro depois de chegar em Medyka, Polônia, com sua família

 

Um outro serviço, Chatbot, para facilitar a identificação e registro de famílias voluntárias tem reforçado o abrigo de crianças desacompanhadas, que foram separadas das famílias na hora da fuga ou que se perderam. 

Na Moldávia, três Blue Dots, que dão apoio para a proteção de famílias e crianças, já ofereceram suporte na fronteira aos que deixam a Ucrânia.  A maioria dos refugiados está chegando ao maior centro de acolhimento na capital do país, Chisinau. 

Já na Romênia, outros três Blue Dots entraram em ação e estão apoiando 18 mil pessoas.
O plano é criar mais 12 centros de apoio. Ao todo, o Unicef já levou suprimentos médicos a mais de 500 mil pessoas na Ucrânia.

A agência da ONU também entregou kits da primeira infância a centros parceiros de assistência social para atender 6 mil crianças em Kharkiv e Kyiv.