Superintendente do Nepal na RD Congo é a policial do ano nas Nações Unidas BR

Superintendente Sangya Malla, do Nepal, é a vencedora do Prêmio da ONU para Mulher Policial em 2021
ONU
Superintendente Sangya Malla, do Nepal, é a vencedora do Prêmio da ONU para Mulher Policial em 2021

Superintendente do Nepal na RD Congo é a policial do ano nas Nações Unidas

Paz e segurança

Sangya Malla lidera a Unidade de Polícia de Saúde e Meio Ambiente e ajudou a desenvolver orientações para prevenir e mitigar a propagação de Covid-19; secretário-geral destaca que seu trabalho personifica o “melhor das Nações Unidas”.

A superintendente Sangya Malla, do Nepal, é a vencedora do Prêmio da ONU para Mulher Policial do Ano. A nomeação acontece na Semana da Polícia, marcada pelas Nações Unidas entre os dias 8 e 12 de novembro.

A boina-azul serve na República Democrática do Congo, RD Congo, como chefe da Unidade de Polícia de Saúde e Meio Ambiente na capital, Kinshasa. Profissional médica de formação, ela ajudou a estabelecer a unidade.

Sangya Malla serve na RD Congo como chefe da Unidade de Polícia de Saúde e Meio Ambiente na capital, Kinshasa
Sangya Malla
Sangya Malla serve na RD Congo como chefe da Unidade de Polícia de Saúde e Meio Ambiente na capital, Kinshasa

Contribuição

Sangya Malla foi responsável pela implementação de políticas e procedimentos relativos à saúde e bem-estar, bem como iniciativas ambientais da Polícia das Nações Unidas.

Suas contribuições foram vistas como especialmente importantes durante a atual pandemia de Covid-19, mas também durante o surto de ebola e outras crises naturais e humanitárias.

Ela afirmou estar honrada em receber o prêmio e espera que o reconhecimento sirva de incentivo para mais mulheres de seu país e de todo o mundo a seguir carreira no policiamento, o que afirmou ainda ser visto como “trabalho de homem”.

Tweet URL

Premiação

Sangya Malla recebeu o prêmio pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em uma cerimônia virtual realizada nesta terça-feira. 

O chefe das Nações Unidas elogiou a boina-azul por seu trabalho em aumentar a segurança e o bem-estar dos soldados de paz da organização, mitigando os riscos transmissão de Covid-19 e outras ameaças.

Guterres afirmou que mais que suas ações, a superintendente representa “algo muito maior”, sendo símbolo das muitas contribuições das mulheres policiais para promover a paz e a segurança em todo o mundo.  Ele destacou que, por meio de seu trabalho, ela personifica o “melhor das Nações Unidas”.

Malla ajudou a desenvolver orientações para prevenir e mitigar a propagação de Covid-19. Ela organizou mais de 300 sessões de conscientização sobre prevenção do coronavírus proteção ambiental para a população local, autoridades congolesas e funcionários da ONU.

Como ponto focal da MONUSCO durante a pandemia de Covid-19, ela também tem divulgado informações sobre vacinas e promovido esforços para imunização.