Guterres pede fim da violência em Tigray a descarta solução militar para a crise na Etiópia  BR

Mais de 45,1 mil deixaram a Etiópia e foram para o Sudão,
Ocha/Gabriela Vivacqua
Mais de 45,1 mil deixaram a Etiópia e foram para o Sudão,

Guterres pede fim da violência em Tigray a descarta solução militar para a crise na Etiópia 

Ajuda humanitária

Secretário-geral da ONU pediu proteção de civis e acesso para passagem de ajuda humanitária; segundo agências de notícias, a capital da região, Mekelle, foi tomada por forças regionais; governo decretou cessar-fogo humanitário na região do extremo norte. 

O chefe Nações Unidas afirma ser essencial a proteção de civis na região de Tigray, na Etiópia, que é alvo de um confronto entre forças regionais e tropas do governo. 

Em nota, emitida pelo seu porta-voz, António Guterres disse que os recentes acontecimentos na região são “extremamente preocupantes”. Para ele, essa é mais uma prova de que não existe “solução militar para a crise.” 

Necessitados 

De acordo com agências de notícias, a capital de Tigray, Mekelle, teria sido tomada por forças regionais após uma ofensiva, na segunda-feira. Antes de emitir a nota, o chefe da ONU disse que telefonou para o primeiro-ministro Abiy Ahmed.  

ONU destaca prioridade de se garantir a segurança do pessoal da organização
OIM Etiópia
ONU destaca prioridade de se garantir a segurança do pessoal da organização

 

Após a conversa, Guterres expressou “esperança de uma cessação efetiva dos confrontos”, na área marcada por combates entre integrantes da Frente de Libertação do Povo Tigray e forças do governo desde novembro. 

Esta terça-feira, agências humanitárias manifestaram preocupação com a situação de incerteza na região, apesar do pedido de cessar-fogo do governo. A Organização Mundial da Saúde, OMS, destaca as condições de fome e o potencial surto de doenças. 

Após analisar imagens de pilhagens e saques, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef condenou os autores das ações. 

Auxílio  

A agência disse ter alertado sobre as 140 mil crianças gravemente desnutridas correm  risco de morte a menos que haja acesso imediato de auxílio. 

A ONU estima que a crise tenha levado ao deslocamento de mais de 2 milhões de pessoas. Mais de 45,1 mil deixaram a Etiópia e foram para o Sudão, devido ao conflito que afetou mais de 5 milhões em ambos os países. 

Agências humanitárias estão preocupadas com potencial de eclosão de surtos de doenças en Tigray
UNICEF
Agências humanitárias estão preocupadas com potencial de eclosão de surtos de doenças en Tigray

 

Os confrontos surgiram após forças regionais em Tigray terem recusado uma série de reformas políticas e capturado bases do Exército etíope. 

Ainda segundo agências de notícias, as autoridades federais decretaram um cessar-fogo humanitário.  

Segurança  

Durante o briefing diário com jornalistas, o porta-voz de Guterres afirmou que a ONU condena todo e qualquer ataque a trabalhadores e bens humanitários e exige às partes que cumpram suas obrigações de acordo com o Direito Internacional Humanitário. 

Stephane Dujarric destacou que “todas as partes devem garantir a proteção dos civis e que seja prestada a assistência humanitária pelas Nações Unidas de acordo com os princípios humanitários”. 

Ele salientou a prioridade de se garantir a segurança do pessoal da organização, tarefa para o qual a organização “vem fazendo tudo o que está ao alcance”. 

Agências humanitárias manifestaram preocupação com a situação de incerteza na região
Unicef/Mulugeta Ayen
Agências humanitárias manifestaram preocupação com a situação de incerteza na região