Cerca de 170 mil corredores se inscrevem para competir com leopardo-das-neves
BR

22 outubro 2019

Iniciativa é feita em aplicativo de telefone para promover conservação da vida selvagem; participantes vão acompanhar velocidade e trajeto do animal que está na Mongólia; leopardo, Uuliin Ezen, é rastreado por GPS; corrida começa em 23 de outubro.

Uma campanha de 12 dias sobre conservação da vida selvagem lançou um desafio a corredores em todo o mundo: competir com um leopardo-das-neves na Mongólia.

A partir desta quarta-feira, Dia dos Leopardos-das-Neves, milhares de corredores iniciarão o trajeto na iniciativa organizada pela ONU Meio Ambiente, Pnuma, e a Adidas Runtastic.

Caça ilegal

O objetivo é destacar a necessidade de conservar a vida selvagem ameaçada de extinção no mundo.  Até o fim de 21 de outubro, quase 170 mil corredores já haviam se inscrito. 

Através do aplicativo ‘Running” da Adidas, os usuários poderão correr e competir com Uuliin Ezen, um verdadeiro leopardo-das-neves, que vive na Mongólia. O animal é rastreado pelo Fundo para o Leopardo da Neve, usando tecnologia GPS para fins científicos.

Com a experiência, os corredores também poderão ter uma ideia de como são as atividades diárias de Uuliin, incluindo as dificuldades que ele enfrenta para encontrar comida e sobreviver à caça ilegal.

No aplicativo, os usuários terão ainda a oportunidade de contribuir com o trabalho de conservação que mantém o leopardo seguro.

Locais

Para garantir a segurança das espécies, o programa usa apenas dados de movimento e não os locais reais do leopardo. A iniciativa também tem apoio da Internet of Elephants.

A corrida faz parte de uma campanha internacional de conservação da vida selvagem, chamada ‘Run Wild’, Corra Loucamente, na tradução livre para o português. A meta é criar uma conexão positiva e poderosa entre corredores e espécies ameaçadas de extinção, aumentar sua compreensão sobre a complexidade da conservação e obter apoio para o trabalho necessário para manter os animais seguros.

O diretor de gerenciamento de programas do Pnuma, Matthias Jurek, explicou que “os leopardos-das-neves são uma das espécies mais emblemáticas das regiões montanhosas.” Mas segundo ele, os habitats destes animais “estão sofrendo uma pressão sem precedentes devido às mudanças climáticas e fatores relacionados, como mudança no uso da terra e degradação, fragmentação e perda de habitat”, além do aumento da caça furtiva.

Comércio Ilegal

De acordo com o Pnuma, o comércio ilegal de animais silvestres é um dos principais fatores da perda global de biodiversidade, além de representar riscos ambientais, econômicos, de desenvolvimento e de segurança. A agência da ONU, por meio de sua campanha WildforLife, trabalha em estreita colaboração com vários parceiros para prevenir e reduzir a demanda por produtos silvestres comercializados ilegalmente e reverter essas tendências.

Pesquisas recentes mostram que atualmente, um milhão de espécies estão ameaçadas de extinção e que a mudança climática é um fator essencial da perda da biodiversidade global.

Clique aqui e se junte ao desafio!

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud