Sede das Nações Unidas “às escuras” este sábado para cumprir “Hora do Planeta”

30 março 2019

ONU junta-se a iniciativa mundial da WWF; luzes estarão apagadas durante uma hora a partir das 8:30 da noite; iniciativa aconteceu pela primeira vez em 2007 e pretende alertar para a necessidade de conservar a natureza

Este sábado, 30 de março, a sede das Nações Unidas apagará as luzes da sua sede, em Nova Iorque. A Organização vai participar na “Hora do Planeta”, uma iniciativa global que unirá centenas de milhões de indivíduos, empresas, organizações e governos em todo o mundo.

A ideia passa por desligar as luzes durante uma hora para chamar a atenção para soluções orientadas para proteger o planeta e construir um futuro sustentável.

Secretário-geral

Em mensagem especial sobre esta iniciativa, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destaca que ela surge num momento crucial em que é visível “o agravamento dos impactos das alterações climáticas.
Foto ONU/ Manuel Elias

Em mensagem especial sobre esta iniciativa, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destaca que ela surge num momento crucial em que é visível “o agravamento dos impactos das alterações climáticas, a perda de biodiversidade, a poluição dos oceanos, a degradação dos solos e a escassez de água.”

Guterres lembra que ainda é possível limitar as alterações climáticas, proteger o planeta e salvaguardar o nosso futur,o mas para tal é necessário ação climática. Por isso, pediu aos líderes globais que apresentem “planos concretos” em setembro próximo, durante a grande cimeira do clima que se realizará na sede da ONU, em Nova Iorque. 

História

Esta iniciativa foi realizada pela primeira em 2007, em Sidney, na Austrália, organizada pela Rede WWF, antes conhecida como Fundo Mundial para a Natureza.

Segundo a organização, a Hora do Planeta é hoje “o maior movimento de base do mundo para o meio ambiente, inspirando milhões de pessoas a agirem em defesa do planeta e da natureza.”

A Rede WWF lembra que “a maioria dos recursos que usamos vem do ambiente” e que as pessoas precisam “voltar a ter contato com as suas raízes e cultivar a natureza ajudando a preservar a vida selvagem e seus habitats.”

Além disso, a organização afirma que “a variedade de vida e lugares onde vivem é a melhor defesa contra as alterações climáticas”, porque “essa variedade fornece ainda mais recursos para melhorar vidas.”

À medida que a mudança climática acelera e a perda de biodiversidade ameaçam o planeta, a Hora do Planeta pretende incentivar conversas sobre o meio ambiente e a necessidade urgente de protegê-lo.

Veja a mensagem do secretário-geral da ONU na íntegra: 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unesco e parceiros querem programa de médio prazo de observação do Atlântico

Simpósio discutiu os 4 anos do sistema de avaliação que contou com a contribuição de 62 parceiros; ambição passa por criar programa de médio prazo; ONU News entrevistou investigadores lusófonos.