CSW 63: Comissão da ONU adota documento para garantir direitos das mulheres

23 março 2019

Encontrou reuniu milhares de representantes durante duas semanas na sede das Nações Unidas em Nova Iorque; Conclusões Acordadas estabelecem medidas concretas para reforçar a voz e a liderança de mulheres e meninas.

Depois de duas semanas, a Comissão da ONU exclusivamente dedicado à promoção da igualdade de gênero e empoderamento das mulheres encerrou a sua sessão anual na noite de sexta-feira. 

No último dia do encontro, foi adotado um acordo sobre formas de proteger e melhorar o acesso de mulheres e meninas aos sistemas de proteção social, serviços públicos e infraestrutura sustentável.

Encontro

Participantes da CSW 63 na sede da ONU em Nova Iorque, by ONU Mulheres/Ryan Brown

Em nota, a ONU afirma que este documento é “um forte compromisso dos Estados-membros para garantir que os serviços, infraestruturas e sistemas de proteção social sejam concebidos e aplicados de forma a prevenir a discriminação e criar condições equitativas para as mulheres e raparigas.”

A 63ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, CSW 63, levou defensores dos direitos das mulheres de todo o mundo à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, para duas semanas de intenso diálogo, painéis de especialistas e eventos de parceria. 

A diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, disse que “este encontro nunca foi maior nem mais significativo para as mulheres e meninas do mundo.”

Testemunhos

A reunião começou no dia 11 de março com declarações de uma mãe paquistanesa em cadeira de rodas que ansiava visitar um parque sem se preocupar com o acesso à rampa, e uma jovem sul-sudanesa que sonhava com assistência médica acessível.

Esses e outros testemunhos ouvidos durante a sessão destacaram algumas necessidades, como acesso universal a uma pensão de velhice, serviços de saúde de qualidade e transporte público seguro e acessível, que podem aumentar a segurança e a independência das mulheres.

Segundo a ONU, esses serviços podem determinar se as meninas frequentam a escola, que mercados uma mulher agricultora pode ter acesso e quanto tempo ela tem para procurar outro trabalho remunerado ou atividades de lazer.

Acordo

O resultado da sessão, conhecido como Conclusões Acordadas, refere diretamente essas preocupações e estabelece medidas concretas para reforçar a voz e a liderança de mulheres e meninas.

Mlambo-Ngcuka disse que as recomendações “preparam o caminho para os governos se envolverem e investirem de maneira diferente.” Segundo ela, também “envolve as mulheres no diálogo sobre políticas e visa iniciativas contra as maiores barreiras ao empoderamento e à voz de mulheres e meninas.”

Ainda segundo a ONU, estes sistemas de proteção social, serviços públicos e infraestrutura sustentável são essenciais para a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, adotada pelos líderes mundiais em 2015.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Ministra de Moçambique fala sobre CSW63, parcerias com a Cplp e impacto de tempestades tropicais

A ministra do Género, Criança e Ação Social em Moçambique fala sobre os temas que foram debatidos na CSW63, as iniciativas em parceria com Cplp e o impacto das tempestades tropicais em mulheres e crianças. Cidália Chaúque falou à ONU News, em Nova Iorque. 

Portugal implementa estratégia para promover igualdade de género e combater violência doméstica

Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade participa na Comissão Sobre Estatuto da Mulher; Rosa Monteiro explicou prioridades do país; políticas de igualdade no mercado de trabalho também são prioridade.