ONU alerta para sub-representação no Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

11 fevereiro 2019

Secretário-geral destaca que situação é crónica; tema deste ano é "Investimento em mulheres e meninas na ciência para um crescimento verde inclusivo"; investigadora portuguesa relata como era a única aluna na sala de aula.

As Nações Unidas apontam que a ciência e a igualdade de género são essenciais para alcançar as metas internacionais de desenvolvimento, incluindo a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Por isso, 11 de fevereiro é, desde há quatro anos, o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência.

A organização reconhece o grande esforço feito nos últimos 15 anos para inspirar e envolver o género feminino no mundo cientifico. No entanto, mulheres e meninas continuam a ser excluídas da participação plena nesse campo.

Alerta

Para as Nações Unidas, os estereótipos de género continuam a distanciar meninas mulheres das disciplinas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática em todo o mundo.Unicef/ UNI41272/Pirozzi

Em mensagem especial, o secretário-geral da ONU, António Guterres, destaca que as mulheres e meninas “são vitais” na ciência, na tecnologia, na engenharia e na matemática e impulsionam a inovação em todas essas áreas.”

Guterres alerta que, no entanto, o sexo feminino permanece “terrivelmente sub-representado” destacando que os “estereótipos de género, a falta de modelos, de políticas sem qualquer apoio, ou mesmo hostis, podem impedi-las de seguir essas carreiras.”

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Unesco, menos de 30% dos investigadores no mundo são mulheres.

No mundo, o número de estudantes do sexo feminino é particularmente baixo nas Tecnologias de Informação, TIC. Apenas 3%, nas ciências naturais, na matemática e na estatística é de 5% e em engenharia, manufatura e construção é de 8%.

História

Essa realidade é ilustrada pela investigadora portuguesa Micaela Fonseca. A professora universitária doutorada em Física Nuclear partilhou com a ONU News, a partir de Lisboa, como é ser a única mulher na sala de aula.

“Nos últimos anos de curso fui a única mulher nas aulas. Foi uma experiência muito interessante, estou muito habituada a trabalhar no meio dos homens. Mas nós como mulheres, a aceitação e a forma de lidarmos e de trabalharmos na investigação, eu acho que já percorremos muito, mas eu acho que ainda temos um caminho a percorrer em termos de aceitação.”

Siga a entrevista na íntegra com a investigadora Micaela Fonseca: 

Este ano,  a data é celebrada sob o tema "Investimento em mulheres e meninas na ciência para um crescimento verde inclusivo."

Para as Nações Unidas, os estereótipos de género continuam a distanciar meninas mulheres das disciplinas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática em todo o mundo.

Progressos

Guterres reforça a ideia de que é necessário “promover o acesso a oportunidades de aprendizagem para mulheres e meninas, particularmente nas áreas rurais”.Unicef/ UNI6786/El Baba

Embora as mulheres tenham feito enormes progressos no sentido de aumentar sua participação no ensino superior, elas ainda estão sub-representadas nesses campos.

A investigadora confirma que, no caso português, tem havido uma evolução positiva.

“Eu noto desde que eu entrei para a faculdade até agora, que há muito mais mulheres.   Eu acho que há muito mais vontade e a sociedade já evolui imenso para termos igualdade e não haver qualquer discrepância nem qualquer problema seja mulher ou homem. Mesmo a sociedade na parte da gestão há um grande esforço nesse sentido.”

O secretário-geral, António Guterres, termina a sua mensagem reforçando a ideia de que é necessário “promover o acesso a oportunidades de aprendizagem para mulheres e meninas, particularmente nas áreas rurais”.

O representante lembra a urgência de “mudar a cultura do local de trabalho, para que as meninas que sonham em ser cientistas, engenheiras e matemáticas possam desfrutar de carreiras satisfatórias nesses campos.”

Para assinalar este Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, serão organizados vários eventos na sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Portugal co-promoverá  dois deles para promover a data. 

Assista à mensagem do secretário-geral da ONU sobre o  Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência:

 

 

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unicef apela a ação coordenada para prevenir assédio moral e intimidação na internet

Dia da Internet Segura assinala-se a 5 de fevereiro; agência da ONU quer definir direitos digitais das crianças; 94% dos jovens entre 15 e 24 anos nos países desenvolvidos estão online.

ONU comemora pela primeira vez Dia Internacional da Educação

Assembleia Geral da ONU aprovou resolução em dezembro passado; objetivo é destacar papel da educação para a paz e o desenvolvimento sustentável; 262 milhões de crianças e jovens que não frequentam a escola.