Unrwa pede US$ 1,2 bilhão com urgência para apoiar Palestinianos

30 janeiro 2019

Financiamento é necessário para manter nível de assistência do ano passado; agência apoia 5,4 milhões de refugiados da Palestina em todo o Oriente Médio; educação, saúde e serviços sociais são algumas das prioridades.

O comissário-geral da Agência da ONU de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, Pierre Krahenbuhl, pediu hoje um reforço de orçamento de US$ 1,2 bilhões  de dólares.

O objetivo é garantir o financiamento de serviços vitais da agência e de ajuda humanitária a 5,4 milhões de refugiados da Palestina em todo o Oriente Médio. Esta é a quantia necessária para manter as operações da Unrwa no mesmo nível de 2018.

Necessidades

Krahenbuhl destaca que “é essencial preservar os principais serviços” prestados pela Unrwa em algumas das regiões mais difíceis e polarizadas do Oriente Médio.Foto Unrwa/ Francesca Pezzola

A apresentação das prioridades e necessidades financeiras da agência para 2019 surge na sequência de uma notável mobilização global para superar um déficit sem precedentes.

A situação financeira da agência agravou-se depois do seu maior doador ter cortado em US$ 300 milhões a sua contribuição no ano passado.

Em nota emitida em Genebra, Krahenbuhl prestou um forte tributo a todos os parceiros doadores da Unrwa e lembrou que, ao enfrentar o desafio financeiro mais grave da sua história, “foi inspirador testemunhar a extensão e generosidade da resposta dos governos anfitriões e doadores dentro das Nações Unidas, de Organizações Não-Governamentais parceiras, da sociedade civil e de indivíduos.”

Em 2019, os refugiados da Palestina na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, Gaza, Jordânia, Líbano e Síria, continuarão a enfrentar uma série de desafios de desenvolvimento e de proteção.

Desafios

O responsável considera que a ocupação contínua do território palestino e o bloqueio de Gaza afetam dramaticamente as vidas dos refugiados da Palestina. Os efeitos da violência, incursões, falta de liberdade de movimento e oportunidades de emprego, bem como os crescentes níveis de insegurança alimentar “são alarmantes e crescentes.”

Na Síria, o conflito em curso continua a ter consequências graves para os refugiados da Palestina naquele país.

Krahenbuhl destaca que “é essencial preservar os principais serviços” prestados pela Unrwa em algumas das regiões mais difíceis e polarizadas do Oriente Médio.

O responsável apelou a todos os parceiros que mantenham “os generosos níveis de financiamento” de 2018. Ele lembra que estão em jogo a dignidade e os direitos dos refugiados da Palestina, em particular “o direito à educação para 535 mil meninas e meninos, bem como a estabilidade regional.”

De acordo com a agência, serão necessários cerca de US$ 750 milhões para continuar os seus serviços centrais, que englobam educação, saúde e serviços sociais e de socorro, e contribuir para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS, e da Agenda 2030.

Krahenbuhl deixou ainda uma mensagem aos refugiados da Palestina e os funcionários da Unrwa prometendo “mostrar a máxima resolução e criatividade”, lamentando ainda que “alguns funcionários tenham perdido o emprego.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud