Família é destaque no Dia Mundial de Combate à Diabetes
BR

14 novembro 2018

Mensagem da Organização Mundial da Saúde fala de impacto da doença na sociedade; mais de 400 milhões de pessoas vivem com a doença no mundo; previsão é que os casos continuem a aumentar.

Este 14 de novembro é o Dia Mundial de Combate à Diabetes, uma das principais causas de morte prematura. A Organização Mundial da Saúde, OMS, revelou que a doença esteve relacionada à morte de 1,6 milhão de pessoas em 2016.

A diabetes também é uma das maiores causas de cegueira, falha nos rins, ataques de coração, derrames e amputações de membros inferiores.

O controle dos níveis de glucose e lipídios ajudam os diabéticos a viver vidas longas e saudáveis., by Opas/OMS

Aumento

Dados da OMS indicam que o número de casos da doença tenha aumentado de 108 milhões em 1980 para 422 milhões em 2014. A estimativa é de que esta tendência continue.

A ONU News conversou com a jornalista Sonia Nunes, do Rio de Janeiro. Com 56 anos, ela descobriu que tinha diabetes aos 40 anos. Sonia contou que convive com a doença, após ter sofrido com o forte impacto no princípio.

“Os meus sintomas foram muito típicos, eu emagreci muito, tinha muita sede, uma sonolência, fiz exame de sangue e, estava ela lá. Então, o que isso mudou na minha vida. Na realidade eu fiquei uma pessoa mais saudável com a diabete, comecei a fazer exercícios regularmente, a malhar, a andar na praia, andar de bicicleta com frequência, praticar exercícios aeróbicos todos os dias.”

Este ano, a campanha da OMS foca no impacto da diabetes nas famílias e a importância de seus membros no apoio à prevenção, ao diagnóstico precoce e ao bom gerenciamento da doença.

Impactos Econômicos

De acordo com a agência, além do ônus econômico sobre o sistema de saúde e a economia nacional, a diabetes pode impor um grande custo econômico às pessoas com a doença e suas famílias.

Despesas com medicamentos e tratamentos são uma das principais fontes de gastos domiciliares com os cuidados da doença.

Sonia contou que viveu esta experiência.  

“Eu comecei a tomar uma insulina chamada Lantus, que na época era muito cara. E o governo não fornecia essas insulinas, ele fornecia uma insulina muito básica que o meu médico não queria que eu tomasse. Ele queria que eu tomasse as mais modernas. Então eu entrei com um advogado na justiça e ganhei o direito de receber estas insulinas e os insumos de graça pelo Estado.” 

Apesar da diabetes poder ser gerenciada com medicamentos genéricos, dados da OMS indicam que gastos com tratamentos mais caros têm aumentado.

Adolescência

O adolescente Theo Godolphim, também do Rio de Janeiro, vai fazer 15 anos. Ele convive com a diabetes há três, e contou à ONU News que medicamentos modernos permitem ter uma vida como a de qualquer outro de sua idade.

“Meu cotidiano é como o de qualquer outra pessoa, eu falo com os meus amigos normalmente, eu vivo como uma pessoa sem diabetes, mas eu sei que os medicamentos são muito caros e que exigem muito dinheiro de muitas pessoas para conseguir sustentar. Eu me sinto mal por saber que muita gente não tem os meios para eles.”

A campanha do Dia Mundial de Combate à Diabetes promove a cobertura universal de saúde acessível e igualitário para a gestão do diabetes.

Confira abaixo 10 fatos sobre a doença:

10 factos sobre diabetes

1 – Cerca de 422 milhões de pessoas vivem com a doença.

O número de diabéticos aumenta há três décadas, acompanhando o aumento da obesidade e do excesso de peso. O aumento mais rápido acontece em países de baixa e média renda.

2 – É uma das maiores causas de morte.

Em 2012, causou 1,5 milhão de mortes. Mais 2,2 milhões perderam a vida com doenças cardiovasculares e outras causadas por níveis de glucoses altos.

3 – Há dois grandes tipos de diabetes.

O Tipo 2 da diabetes pode ser prevenido, mas as causas e os fatores de risco do Tipo 1 continuam sendo desconhecidas.

4 – Existe diabetes gestacional.

Mulheres nesta situação têm maiores riscos de complicações durante a gravidez e o parto.

5 – O Tipo 2 é muito mais comum.

Além disso, os casos deste tipo de diabetes em crianças estão aumentando no mundo inteiro.

6 – Diabéticos podem viver vidas longas e saudáveis.

Várias intervenções contribuem para isso. Controle dos níveis de glucose e lipídios reduzem risco de doenças cardiovasculares. Exames regulares aos olhos, rins e pés facilitam tratamento atempado.

7 – Diagnóstico e tratamento precoce é fundamental.

Quanto mais tempo uma pessoa viver sem diagnosticar a doença, piores são suas perspectivas de saúde.

8 – Grande parte das mortes acontece em países de rendas baixa ou média.

Funcionários de saúde nestas nações não têm acesso às tecnologias necessárias para controlar a doença. Acesso a medicamentos, como insulina, é limitado.

9 – Diabetes é uma importante causa de cegueira, amputação e insuficiência renal.

Todos os tipos da doença podem causar complicações em várias partes do corpo e aumenta o risco de morte prematura. 

10 – Diabetes Tipo 2 pode ser prevenida.

Cerca de 30 minutos de atividade física moderada a intensa na maioria dos dias e uma dieta saudável podem diminuir drasticamente o risco de contrair a diabetes de Tipo 2. 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud