ONU Meio Ambiente junta-se a parceria que combate resistência aos antibióticos

12 novembro 2018

Parceria global tripartida vai incluir componente ambiental; 700 mil pessoas morrem todos os anos por infeções resistentes aos antibióticos; semana para aumentar consciência para uso de antibióticos arrancou esta segunda-feira. 

A parceria global tripartida que defende o uso mais responsável de antibióticos em humanos, animais e na agricultura anunciou que vai ampliar área de ação ao setor ambiental.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, a Organização Mundial da Saúde Animal, OIE, e a Organização Mundial da Saúde, OMS, expandiram a iniciativa que atua no combate à resistência a antibióticos, RAM.

O novo parceiro é o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, ONU Meio Ambiente. O objetivo é combater a resistência a antibióticos de uma forma mais holística.

Parceria

A OMS promove a questão da segurança alimentar, enquanto a OIE promoverá o uso prudente e responsável de antibióticos em animais., by FAO/Sergei Gapon

A nova iniciativa, que será conhecida como Tripartite Plus, foi anunciada esta segunda-feira, na abertura da Semana Mundial da Consciencialização sobre Antibióticos, em Bangkok, na Tailândia.

O diretor-geral adjunto da FAO, Kundhavi Kadiresan, saudou a decisão enfatizando o importante papel do meio ambiente para abordar a resistência aos antibióticos. O representante ressaltou que todos os antibióticos, seja através de processos de fabricação ou de humanos e animais, podem acabar nos solos, na água e no meio ambiente, dando aos micróbios mais oportunidades de aumentar a sua resistência.

O termo antibiótico é usado para descrever medicamentos usados na prevenção e no tratamento de infeções parasíticas, bacterianas, virais e fúngicas.

A resistência aos antibióticos é a capacidade das bactérias em sobreviver ao tratamento com o tipo de medicamentos. O uso indevido de antibióticos contribui para uma aceleração nos casos de resistência.

Ásia-Pacífico

O tipo de medicamentos é útil no combate a infeções, mas, segundo a OMS, torna-se cada vez menos eficaz devido à prescrição excessiva de médicos, veterinários, dentistas e do uso indevido por agricultores.

Esta resistência tem vindo a acentuar-se fazendo com que a ONU a considere uma emergência de saúde global, levando a Assembleia Geral a incluir  a resistência a antibióticos como uma questão de saúde prioritária, juntamente com o combate ao ébola e ao HIV.

De acordo com a OMS, na Ásia, se nenhuma ação imediata for tomada até 2050, cerca de cinco milhões de pessoas poderão morrer anualmente devido a infeções bacterianas que se tornaram resistentes a antibióticos.

Semana Mundial

A principal mensagem da Semana Mundial de Consciencialização sobre Antibióticos é "lidar com antibióticos com cuidado".

A OMS promove a questão da segurança alimentar, enquanto a OIE promoverá o uso prudente e responsável de antibióticos em animais. Para a FAO, a ênfase está na promoção de boas práticas de agricultura e biossegurança destinadas a prevenir a infeção na pecuária, aquicultura e produção de culturas.

Previsões

OMS estima que 700 mil morrem a cada ano de infeções resistentes aos antimicrobianos. Um número indeterminado de animais doentes pode não estar a responder ao tratamento.

A intensificação da produção agrícola levou a um aumento do uso de antibióticos, que deverá duplicar até 2030.

Agência da ONU lembra que os antibióticos são importantes para o tratamento de doenças animais e vegetais, mas devem ser usados ​​de forma responsável e somente quando necessário.

A OMS lembra ainda que para combater a resistência aos antibióticos é necessário investir em boas práticas agrícolas para prevenir infeções e promover uma agricultura mais sustentável.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud