Quase 1 bilhão de pessoas saíram da pobreza em 25 anos

Mulher prepara bolos de barro, discos de barro, manteiga e sal que se tornaram um símbolo da pobreza extrema e fome no Haiti.
ONU/Logan Abassi
Mulher prepara bolos de barro, discos de barro, manteiga e sal que se tornaram um símbolo da pobreza extrema e fome no Haiti.

Quase 1 bilhão de pessoas saíram da pobreza em 25 anos

Direitos humanos

ONU marca Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza; secretário-geral lembra que mais de 700 milhões de pessoas não satisfazem suas necessidades diárias básicas.

Quase 1 bilhão de pessoas saíram da pobreza nos últimos 25 anos, de acordo com as Nações Unidas.

Em mensagem que marca o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, o secretário-geral diz que esse resultado é reflexo da liderança política, do desenvolvimento econômico inclusivo e da cooperação internacional.

Compromisso

A data é comemorada neste 17 de outubro com um apelo do chefe da ONU “ao engajamento para defender o compromisso da Agenda 2030 de não deixar ninguém para trás”.

António Guterres expressou profundas condolências às famílias das vítimas dos ataques suicidas na Somália.
António Guterres expressou profundas condolências às famílias das vítimas dos ataques suicidas na Somália. , by ONU/Mark Garten

António Guterres destaca que essa ainda não é a realidade e “mais de 700 milhões de pessoas não conseguem suprir suas necessidades diárias básicas.”

De acordo com o secretário-geral, “muitas pessoas vivem em situações de conflito e crise, outras encontram barreiras no acesso à saúde, à educação e a oportunidades de emprego, o que as impede de se beneficiarem de desenvolvimento econômico mais amplo”.

Ele ressalta que as mulheres são afetadas de forma desproporcional por essas circunstâncias.

Prioridade

Guterres lembra que o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 1 da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável prevê erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões, o que “ainda é um dos maiores desafios globais e uma prioridade das Nações Unidas”.

No ano em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos completa seu 70º aniversário, o chefe da ONU lembra que acabar com a pobreza não é uma questão de caridade, mas de justiça.  

A mensagem sublinha que há uma conexão fundamental entre erradicar a pobreza extrema e sustentar os direitos iguais de todas as pessoas.

Para Guterres, o mundo deve “ouvir os milhares de pessoas que experimentam a pobreza e a miséria mundo afora, enfrentar as estruturas de poder que dificultam a inclusão delas na sociedade e as indignidades com que lidam.”

O chefe da ONU pede ainda “uma globalização justa” com “oportunidades para todas as pessoas, que garanta o rápido desenvolvimento tecnológico e impulsione os esforços de erradicação da pobreza.”