Cheias no Quénia já causaram a morte de pelo menos 132 pessoas

11 maio 2018

Chuvas fortes em três países africanos já causaram mais de 700 mil deslocados; Escritório da ONU para Coordenação de Assistência Humanitária, Ocha, ajuda na resposta humanitária.

As cheias no Quénia provocaram pelo menos 132 mortos, anunciou esta sexta-feira o Escritório da ONU para Coordenação de Assistência Humanitária, Ocha. Na quarta-feira, cerca de 30 pessoas morreram na cidade de Nakuru, quando uma barragem cedeu à pressão das águas.

As chuvas fortes, que também afetam a Somália e a Etiópia, já causaram mais de 700 mil deslocados.

Quénia

No Quénia, além dos mortos, as cheias já forçaram 311 mil pessoas a sair de suas casas. O Ocha diz que “o governo, em particular a Cruz Vermelha queniana respondem à crise, incluindo com buscas e resgate das pessoas isoladas pelas cheias. ”

Na Somália, os rios Juba e Shabelle continuam causando cheias repentinas. Cerca de 220 mil pessoas já foram deslocadas e 718 mil foram afetadas.

O Ocha informou que os parceiros humanitários e as autoridades somalis fornecem ajuda, dando apoio logístico para mudar as pessoas para terrenos mais elevados, e distribuindo sacos de areia para reparar barreiras quebradas.

Etiópia

Na Etiópia, espera-se que as cheias continuem. Em abril, 171 mil pessoas foram forçadas a deixar as suas casas, a maioria na região Somali. Estas chuvas também destruíram 13 mil hectares de terrenos agrícolas, centros de saúde e escolas.

O Ocha diz que “o governo e os parceiros enviaram ajuda de emergência, incluindo agua potável e artigos de higiene e limpeza, que são essenciais para evitar um regresso da diarreia aguda. ”

 

Apresentação: Alexandre Soares

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud