ONU condena ataque terrorista que matou 12 na comissão eleitoral da Líbia

2 maio 2018

Secretário-geral reafirma empenho com implementação de plano para estabilização; segundo agências de notícias, ato teria sido reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil.

O secretário-geral condenou esta quarta-feira o ataque terrorista contra a sede da Alta Comissão Nacional de Eleições da Líbia, Hnec, na capital Trípoli.

Pelo menos 12 pessoas morreram e várias outras ficaram feridas quando um homem fez-se explodir enquanto outros invadiam e incendiavam o prédio, anunciaram agências de notícias.

Registo

De acordo com os relatos das agências, o grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, teria reivindicado o ataque ocorrido em momento de registo de eleitores para a votação prevista para este ano.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, António Guterres enviou condolências às famílias das vítimas e aos feridos.

Estado justo

Guterres reafirmou o compromisso da ONU com a implementação do Plano de Ação para a Líbia e agradeceu o apoio aos esforços feitos nesse sentido pelo seu representante, Ghassan Salamé, junto das partes envolvidas. 

Em sua conta do Twitter, Salamé disse que o ataque “covarde” é uma agressão direta ao povo líbio, à vontade de se construir um Estado justo e civil e contra a esperança dos líbios que buscam a transição para a paz e a estabilidade do país.

Apresentação: Daniela Gross.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud