Radiação em Chernobyl pode ter causado 25% dos casos de câncer de tireoide em crianças

Helicóptero se aproxima da planta nuclear de Chernobyl para verificar os danos ao reator nuclear, em abril de 1986. Foto: Aiea

Radiação em Chernobyl pode ter causado 25% dos casos de câncer de tireoide em crianças

Assuntos da ONU

Comitê da ONU revelou que casos foram detectados em pessoas que eram menores em 1986; pesquisa menciona grandes quantidades de iodo radioativo expelidas em áreas perto da usina onde ocorreu a explosão.

As Nações Unidas assinalam, este 26 de abril, o Dia Internacional de Lembrança do Desastre de Chernobyl. O acidente ocorreu há 32 anos numa usina nuclear da Ucrânia, quando o local ainda era parte da ex-União Soviética.

A ONU destaca que a explosão e o incêndio expuseram pelo menos 8,4 milhões de pessoas à radiação, em áreas que incluem os atuais territórios da Belarus e da Rússia.

Câncer 

Um novo estudo do Comitê Científico das Nações Unidas sobre os Efeitos da Radiação Atômica, Unscear, analisou as taxas de câncer ocorridas entre 1991 e 2015 na região afetada.

A pesquisa concluiu que do total dos casos de câncer da tireoide um quarto ocorreu em pessoas que nessa altura eram crianças. Enormes doses de iodo radioativo foram liberadas em áreas relativamente próximas do local do reator nuclear.

O especialista Hans Vanmarcke disse à ONU News que o estudo se segue a outros três onde o foco foram as consequências do acidente de Chernobyl para a saúde. O último decorreu há 10 anos.

Assissta ao vídeo sobre o desastre (em inglês).

United Nations
Chernobyl 1986

 

Áreas Agrícolas

De acordo com as Nações Unidas, pelo menos 116 mil pessoas foram retiradas da área afetada a seguir à explosão. Outras 230 mil foram movimentadas nos últimos anos. Mais de 55 mil km² de áreas agrícolas foram contaminadas.

Um total de 230 projetos de pesquisa já foram realizados por entidades como Nações Unidas, ONGs e fundações em temas como saúde e segurança nuclear.

As medidas de assistência da comunidade internacional incluem a construção de abrigos e oferta de apoios econômico, social e psicológico às vítimas. Iniciativas nas áreas do meio ambiente, produção alimentar e informação também ocorreram nas áreas afetadas.

Apresentação: Monica Grayley.