Com presidência argentina, G-20 procura maior colaboração com África

14 fevereiro 2018

Encontro em Adis Abeba reuniu representantes de escritórios da ONU dedicados a África com integrantes do G-20; africanos dizem que é passo no bom caminho.

Alexandre Soares, da ONU News em Nova Iorque.

O enviado da Argentina ao G-20 afirmou num encontro com vários representantes de escritórios da ONU dedicados a África que o grupo quer trabalhar mais com os países africanos. A Argentina ocupa a presidência rotativa do G-20 neste ano.

O embaixador Pedro Villagra Delgado falava em Adis Abeba, capital da Etiópia, com membros da Comissão Económica para África, Uneca, o Escritório da ONU para a União Africana, e o Coordenador Residente da ONU para a Etiópia.

Colaboração

Segundo o diplomata argentino, o bloco pretende expandir a agenda do grupo, para incluir temas como educação, segurança alimentar e combate à corrupção.

Delgado disse que o G-20 queria “ouvir e aprender” sobre o que os parceiros “consideram relevante para a África e para a União Africana.”

A África do Sul é o único país africano que pertence ao G-20.  No encontro, o chefe do país na organização disse que o combate aos fluxos ilícitos de dinheiro e a luta contra a tuberculose eram as áreas em que o continente precisava de mais apoio internacional. 

Passo em frente

O economista-chefe da Uneca, Abdalla Hamdock, descreveu o encontro como “um passo na direção certa.”

Hamdock disse que a Uneca tem várias prioridades que podem beneficiar da parceria, como a integração económica, mudanças climáticas, tecnologia e migração.

Outros participantes no encontro disseram que o G-20 pode ainda ajudar os países africanos a alcançar os objetivos da agenda 2030, da ONU, e 2063, da União Africana.

Durante a sua visita, a delegação do G-20 também teve encontros com a União Africana.